Ministério da Agricultura divulga portarias com zoneamento de risco climático

O governo federal publicou, na última sexta-feira (21), as portarias com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para o ano-safra 2020/2021. As portarias se referem ao cultivo de algodão herbáceo, consórcio milho com braquiária primeira safra, feijão caupi e milho primeira safra em estados do Norte e do Nordeste.  

O Zarc, como é chamado o Zoneamento, tem como objetivo reduzir os problemas relacionados a eventos climáticos não desejáveis e permitir ao produtor identificar a melhor época para plantar, levando em conta as características de cada região. 

Agricultores familiares do Nordeste vão ter oferta de serviços de consultoria agrícola online

2020 pode ser o ano mais verde da história dos registros de defensivos agrícolas

Para o algodão herbáceo, o Zarc foi aprovado em nove estados, entre eles Alagoas, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Roraima. Para o cultivo do consórcio milho com braquiária, mais sete estados. Para o feijão, a lista inclui 14 estados. Para cultivar milho de primeira safra, o Zoneamento foi aprovado em dez estados. 

Segundo o Ministério da Agricultura, o modelo considera elementos que influenciam diretamente no desenvolvimento fisiológico da planta, como temperatura, chuvas, umidade relativa do ar, ocorrência de geadas, água disponível nos solos, demanda hídrica das culturas e elementos geográficos. 

As unidades federativas estudadas pelo Mapa passaram por recente revisão metodológica pela equipe de especialistas da Embrapa e de parceiros, além de reuniões de validação com atores locais.

Foto: Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa)

Leia mais

Leia também