Militares franceses publicam nova carta alertando para risco de ‘guerra civil’

Compartilhe


RFI Depois de um texto polêmico publicado no fim de abril, um grupo de militares franceses na ativa publicou, neste domingo (9) à noite, uma nova coluna na revista conservadora Valeurs Actuelles, em forma de petição. Até 1h da manhã, mais de 75 mil militares já haviam assinado o texto.

Os autores alertam que a “sobrevivência” da França está em jogo, após as “concessões” feitas ao islamismo, e se dirigem diretamente ao presidente francês, Emmanuel Macron, aos parlamentares e aos oficiais. “É hora de agir, senhoras e senhores. Não se trata, desta vez, de fórmulas prontas ou midiatização. Não se trata de prolongar seus mandatos ou de conquistar outros. Trata-se da sobrevivência de nosso país, do seu país”, escrevem os militares. 

Os autores explicam que entraram há pouco tempo na carreira militar e, por questões legais, não podem ser identificados. “Somos o que os jornais chamam de geração do fogo. Homens e mulheres na ativa, da Marinha, Exército e Aeronáutica, de todos os níveis hierárquicos. Nós amamos nosso país”, escrevem. Eles também declaram que uma “guerra civil se prepara”.

O ministro francês do Interior, Gérald Darmanin, denunciou nesta segunda-feira (10) uma “manobra grosseira” e a “falta de coragem” de “pessoas anônimas”, frisou em entrevista ao canal de TV BFMTV. “Que sociedade corajosa essa que dá a palavra para pessoas no anonimato. Parece que estamos em uma rede social”, disse Darmanin.

“Quando somos militares, não fazemos esse tipo de coisa escondido”, acrescentou, reforçando que “se trata de uma manobra grosseira” com a proximidade das eleições regional e presidencial no país. O texto dos militares também denuncia “o caos e a violência” que atinge o país. “Vemos que o ódio e sua História vão se tornar a norma”, dizem os militares. O artigo, em forma de petição, recebeu mais de 75 mil assinaturas algumas horas após a publicação.

Texto preocupa esquerda francesa

“Se uma guerra civil estourar, as forças armadas manterão a ordem em seu próprio território, porque vão nos pedir isso”, diz o texto. O texto foi publicado menos de três semanas depois do primeiro artigo assinado por militares franceses, entre eles, 19  generais.

“Cadê a deontologia? Como podemos deixar entender que as Forças Armadas são movidas por esses sentimentos e pelo desejo de questionar certos princípios da República?”, questionou o ex-presidente francês François Hollande. 

“Isso me preocupa”, reagiu o líder do Partido Socialista francês, Olivier Faure. Ele estima que a esquerda deveria “fazer uma reflexão diante de todas essas ameaças”, declarou. “Há militares na ativa que querem assinar um texto de maneira anônima. São covardes. Eu não tenho medo, digo meu nome, e o que farei se for eleito: expulsar das forças armadas esses membros”, disse Jean-Luc Mélenchon, candidato às eleições presidenciais do partido França Insubmissa.

O procurador de Paris, Rémy Heitz, rejeitou o pedido dos parlamentares para abrir um processo contras os autores do texto, porque não cometeram “nenhuma infração”. 

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

 

(Foto: REUTERS/Charles Platiau)

Leia também

Caged: país registra saldo de 277 mil novas vagas formais de trabalho

Em maio deste ano, o Brasil registrou um saldo de 277.018 novos empregos formais. Segundo os dados do...

Arraiá de São Pedro terá exibição da quadrilha e Rainha Caipira do Projeto Avivar

A eleição da Rainha Caipira e a quadrilha da Melhor Idade serão os pontos altos da primeira festa...

Festa de São Pedro começa nesta sexta, 1º, com concurso infantil de trajes típicos e várias atrações

A Festa de São Pedro, que acontece no terreno da rodoviária, a partir das 18h desta sexta-feira, 1º...

Prefeito e secretária visitam obras no pátio da escola Ozéias Rezende

Na manhã desta segunda feira (27), o prefeito de Barra de São Francisco, Enivaldo dos Anos e a...

PARÁ: Mesmo com queda em 20 anos, taxa de mortalidade infantil no estado é maior que média brasileira

Apesar de ter diminuído em 20 anos, a taxa de mortalidade infantil no Pará ainda é a maior...

Dança das escolas abrilhanta o segundo dia da Festa de São Pedro, no centro da cidade

  A apresentação de danças das escolas municipais e das quadrilhas da Escola Municipal de Ensino Fundamental Vicente Amaro...

INDICADORES: Preço do café arábica cai nesta terça-feira (28)

A saca de 60 quilos do café arábica iniciou a terça-feira (28) com diminuição de 1,23% no preço...

Operação contra abuso sexual de crianças na internet é realizada no Espírito Santo

A Polícia Civil do Espírito Santo participa, na manhã desta quinta-feira (30), da Operação Luz na Infância 9. A...