Milhares protestam na Europa contra o genocídio do povo palestino (vídeo)


Milhares de manifestantes saíram às ruas neste sábado (15) em várias cidades da Europa e na Tunísia em apoio aos palestinos contra o genocídio provocado por bombardeios israelenses. 

Segundo reportagem do jornal Folha de S.Paulo, na França, manifestações foram realizadas em várias cidades, incluindo Paris, onde policiais tentaram dispersar os manifestantes. confrontos entre manifestantes e policiais ocorreram à tarde no bairro de Barbès, na zona norte da capital. Em Boulevard Barbès, um grupo de cem pessoas cantava “Israel assassino”, enquanto bandeiras palestinas foram hasteadas ou usadas como capas.

Em Londres, milhares de pessoas protestaram no centro em apoio ao povo palestino e para pedir ao governo britânico que intervenha para impedir a operação militar israelense. Em Madri, cerca de 2.500 pessoas protestaram no centro em apoio à causa palestina. “O silêncio de uns é o sofrimento de outros”, “Jerusalém, a capital eterna da Palestina”, diziam as faixas e cartazes dos manifestantes, entre os quais um grande número de mulheres jovens. 

Na Alemanha, milhares de pessoas se manifestaram em Berlim e em várias cidades, respondendo ao apelo de coletivos pró-palestinos. Na capital foram autorizadas três manifestações, incluindo duas no bairro de Neukölln, na zona sul da cidade.

Também foram feitos atos em Bruxelas, na Bélgica, e em Utrecht, na Holanda.

Novos ataques

O Exército de Israel bombardeou e destruiu neste sábado (15) um prédio de 12 andares localizado em Gaza que abrigava escritórios da emissora catari Al Jazeera, da agência norte-americana Associated Press e outros veículos de comunicação, além de apartamentos residenciais.

O ataque faz parte das hostilidades conduzidas pelo governo israelenses contra a Faixa de Gaza que já entram no 6º dia consecutivo e já deixaram 140 palestinos mortos, incluindo 39 crianças, segundo o Ministério da Saúde da região.

A repórter da Al Jazeera Safwat al-Kahlout, que está em Gaza, se disse chocada com o bombardeio e afirmou que levou dois segundos para que o prédio desabasse.

Londres, Paris, Berlim e Madri têm protestos a favor dos palestinos

Londres, Paris, Berlim e Madri têm protestos a favor dos palestinos

Leia mais

Leia também