Milhares de profissionais são capacitados para atuar no enfrentamento aos crimes de fronteira

Cerca de 1.300 agentes de segurança pública de todos os estados brasileiros e de países da América do Sul e América Central foram capacitados para atuar no enfrentamento aos crimes que ocorrem nas fronteiras com o Brasil, durante o curso “Segurança Multidimensional nas Fronteiras”, ministrado à distância até esta sexta-feira (26).

O foco principal da iniciativa foi a Tríplice Fronteira entre a Argentina, Brasil e Paraguai, região que se apresenta como uma das principais rotas do comércio ilícito e intensa presença de organizações criminosas. O curso é uma parceria entre o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O objetivo da iniciativa é reduzir a diferença de atuação entre as instituições que lidam com o controle do comércio de produtos falsificados e contrabandeados na fronteira para um melhor enfrentamento às organizações criminosas. A capacitação abordou o funcionamento do crime organizado, o processo de transnacionalização dos mercados ilícitos e a cooperação jurídico-policial na gestão das fronteiras, principalmente na cooperação entre estados brasileiros e os países participantes.

Agentes que atuam no âmbito do Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (VIGIA), do MJSP, também participaram da ação, além de representantes de países como Argentina, Paraguai, Uruguai, Colômbia, Peru, Equador e Guatemala.

 

Leia mais

Leia também