Mídia chinesa diz que o nacionalismo da vacina está exterminando vidas


Rádio Internacional da China – Em quatro dias consecutivos, a Índia registrou diariamente 300 mil novos casos de infecção pelo Covid-19. O país foi descrito pela agência Reuters como um “purgatório na Terra”.

Frente às pressões internacionais, o governo dos EUA finalmente publicou uma declaração no domingo (25), concordando em fornecer à Índia recursos médicos, incluindo matérias-primas para produção de vacinas. No entanto, essa declaração tardia não satisfez os internautas indianos, os quais criticaram os EUA pela proibição de exportação, atraso de ações e falta de compaixão, dizendo que “os indianos não perdoarão os EUA por serem impiedosos quando eles necessitam de ajuda”.

A raiva dos internautas indianos é compreensível. Em abril do ano passado, o governo de Trump implementou o controle de exportação de matérias-primas para a produção de vacinas com base no “America First”. O governo de Biden estendeu a proibição após assumir o cargo. Isso faz com que a linha de produção de vacinas da Índia enfrente uma crise de suspensão.

Comparando as matérias-primas, a Índia necessita mais das vacinas que podem ser usadas diretamente. O jornal indiano The Hindu indicou desapontadamente que os EUA não mencionaram em transportar vacinas prontas à Índia.

A impiedade e o egoísmo das pessoas são mais aterrorizantes do que os vírus. O nacionalismo da vacina está servindo de obstáculo à luta mundial contra a pandemia.

Embora a Índia seja uma das principais produtoras de vacinas do mundo, apenas 8,6% da população recebeu pelo menos uma dose de vacinas contra Covid-19. A situação está pior em outros países subdesenvolvidos. Segundo estatísticas da Universidade de Oxford, a taxa de vacinação da primeira dose em Níger, Camarões, Líbia e Papua Nova Guiné é inferior ao milésimo. Este número é 41% nos EUA, 50% no Reino Unido e 61% em Israel.

O agravamento da situação na Índia está retardando o processo antiepidêmico mundial. A Índia é o maior fornecedor da Covax e assumiu uma parte de suas encomendas. A produção atrasada de vacinas fará com que os países que estão aguardando pelo produto esperem mais tempo.

Até o momento, o Covid-19 já deixou mais de 3 milhões de mortos no mundo. O presidente da Comissão Internacional da Cruz Vermelha, Peter Maurer, disse que se não garantirmos a justiça da distribuição de vacinas, a pandemia trará mais conflitos, violência e pobreza ao mundo.

(Foto: Pfizer/Divulgação/Reuters)

Leia mais

Leia também