Mídia chinesa comenta que máscara de direitos humanos dos EUA é derrubada por ataques de Israel à Palestina


“Não é apenas uma questão da Palestina, mas também uma questão de direitos humanos… O dinheiro dos impostos que pagamos está financiando o exército de Israel”, gritou um estudante em uma manifestação em apoio à Palestina nos Estados Unidos. 

Os políticos norte-americanos atuam por um lado como “defensores dos direitos humanos” acusando outros países, mas por outro, não levam em consideração os direitos humanos do povo palestino que está sofrendo na guerra, e até mesmo fornecem armas a “assassinatos”. Ao agir com este padrão duplo, sua máscara de direitos humanos caiu por terra, comenta a Rádio Internacional da China.

De acordo com reportagens da agência de notícias russa Sputnik, a atual rodada do conflito Palestina-Israel deixou 217 palestinos mortos, incluindo 63 crianças. O mais preocupante é que um centro de testes do novo coronavírus em Gaza foi danificado num ataque aéreo, o que significa que a população palestina está sofrendo tanto com a pandemia quanto com a guerra.

O que o governo dos EUA fez diante de um desastre humanitário tão terrível? Alegaram que Israel tem o “direito à autodefesa” e impediu três vezes a adoção de uma declaração conjunta do Conselho de Segurança da ONU sobre o cessar-fogo e o fim da violência entre os dois países no Oriente Médio. Além disso, de acordo com o Washington Post, o governo estadunidense notificou oficialmente o Congresso no início deste mês que venderia a Israel armas guiadas com pressão no valor de US$735 bilhões. Obviamente, os EUA estão contra a consciência e a moralidade humanas, agravando ainda mais a situação no Oriente Médio.

Na verdade, as políticas errôneas dos EUA para o Oriente Médio são responsáveis pelo crescente conflito entre a Palestina e Israel. As plataformas de mídia social do secretário de Estado, Antony J. Blinken, estão cheias de perguntas de internautas de todo o mundo: “A vida dos palestinos não é importante?”; “O povo de Gaza não tem direitos humanos?”

Ao mesmo tempo, políticos estadunidenses também estão particularmente interessados na situação dos direitos humanos dos muçulmanos no território chinês de Xinjiang. É evidente que os direitos humanos dos muçulmanos em todo o mundo se tornaram uma ferramenta na mão dos políticos norte-americanos. Para eles, não passa de um pretexto para buscar seus próprios interesses políticos. Os direitos humanos ao estilo americano já perderam sua credibilidade no mundo.

Unicef condena violência israelense contra crianças palestinas

Unicef condena violência israelense contra crianças palestinas

Leia mais

Leia também