Menina picada por escorpião no Espírito Santo continua em estado grave

Acidente aconteceu há uma semana em Linhares, no Norte do Espírito Santo. Criança foi transferida para o Hospital Infantil de Vitória.

A menina de quatro anos que foi internada em estado grave depois de ser picada por um escorpião continua em estado grave no Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória, em Vitória. O acidente aconteceu na última quarta-feira (19) em Linhares, no Norte do Espírito Santo.

Depois de se queixar de dor do dedo ao brincar no quintal de casa, a avó teria dado um copo de água para a criança. Na sequência, a menina começou a vomitar e foi levada para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, onde já chegou em estado grave.

“Foi muito rápido. Ela foi levada para o hospital imediatamente. O quadro dela já se agravou no caminho e ela chegou na unidade muito debilitada, com o coração muito acelerado e vomitando muito. A prioridade dos médicos era fazer ela para de vomitar e entender o que tinha acontecido, porque a gente não viu a picada nela”, contou a mãe, Isamoa de Souza Castro.

Na unidade, a mãe contou que foi feito um exame de sangue na criança e a partir de um inquérito sobre os sintomas da menina chegou a conclusão de que Ester foi picada por um escorpião amarelo. “Ela não conseguia dizer o que tinha acontecido e achava que tinha sido picada por uma abelha”.

A criança foi encaminhada para o Hospital Infantil de Vitória no mesmo dia do acidente em estado grave.

Uma semana depois da picada, a mãe informou que Ester continua internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital e recebendo medicamentos para normalizar os batimentos cardíacos. Apesar de estar em estado grave, Isamoa disse que a filha está respondendo ao tratamento.

“Ela continua internada. O estado dela é muito delicado e tudo depende de como ela vai reagir aos procedimentos médicos. Até o momento, ela reagiu bem a todos os procedimentos. O quadro cardíaco dela está melhorando aos pouquinhos”, contou a mãe.

Características

Como o relatado pela mãe da criança, a picada de escorpião nem sempre deixa marcas. O acidente, segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), acontece quando o animal injeta o veneno em alguma pessoa através de seu ferrão, que fica na cauda.

A Sesa explicou que quando alguém é picado por um escorpião o veneno pode provocar efeitos na região da picada ou distante. O mais característico deles é a dor de intensidade variável, podendo ser intensa e acompanhada de dormência, com duração de algumas horas.

A secretaria informou ainda que escorpiões são carnívoros e se alimentam, nas áreas urbanas, principalmente de baratas.

O hábito deles é de procurar alimentos durante a noite, podendo entrar nas casas por encanamentos de esgoto, tubulações para fiações, frestas de parede, portas e janelas. Eles podem ficar escondidos da claridade debaixo de pedras, madeiras, telhas, troncos de árvores, dentro de calçados, armários e gavetas.

Orientação

Em caso de acidente, a orientação é limpar o local água e sabão e procurar serviço de saúde mais próximo para avaliação médica.

A vítima não deve não amarrar, colocar terra ou pó de café sobre a picada, cortar ou espremer a pele e nem fazer curativos sobre a área picada.

Acidentes

De janeiro a junho deste ano, a Sesa registrou 184 picadas de escorpião em crianças com menos de 14 anos. Seis desses acidentes foram graves.

  • Menores de 1 ano: 1 caso
  • 1 a 4 anos: 39 casos
  • 5 a 9 anos: 63 casos
  • 10 a 14 anos: 82 casos

Como prevenir

A Sesa orienta que se adote as seguintes medidas para evitar acidentes com escorpiões:

  • mantenha o quintal e jardim sempre limpos, evitando plantas com muita folhagem;
  • lugar sujo é um bom ninho para os escorpiões, por isso, não jogue lixo nem entulhos ao redor da casa;
  • elimine latas velhas, cacos de telhas e outros objetos que possam acumular água (escorpiões têm necessidade de água);
  • acabe com as baratas, elas são um bom alimento para escorpiões;
  • acabe com buracos e frestas de paredes, janelas, portas e muros;
  • observe com cuidado os panos de chão e as roupas úmidas antes de recolher;
  • tenha cuidado para não ser picado nas mãos quando mexer em montes de lenha, entulhos, folhagens e buracos;
  • faça uma busca dentro e fora de casa;
  • observe com cuidado roupas e sapatos, sacudindo-os antes de vestir ou calçar;
  • sapos, lagartos, galinhas, gansos e corujas são predadores naturais dos escorpiões;
  • se você for picado, procure imediatamente o serviço de saúde mais próximo e, se possível, leve o animal.

Atendimento

Para outras informações, deve-se entrar em contato com o Centro de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox) pelo telefone 0800-283-9904. O atendimento é feito todos os dias, inclusive finais de semana e feriados, 24 horas.

Leia mais

Câmara aprova projeto de ajuda a agricultores familiares durante pandemia

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou o Projeto de Lei 735/20, do deputado Enio Verri (PT-PR) e outros, que estabelece várias medidas para ajudar agricultores familiares durante...

Incra prorroga prazos de vencimento de débitos

Documento provisório de exploração da terra assinado pelos assentados com o Incra ficam automaticamente revalidados pelo período de...

Nova Venécia registra quinta morte por Covid-19; número de casos confirmados chega a 143

A Secretaria Municipal de Saúde de Nova Venécia,...

Maré leva estrelas-do-mar às areias da Praia de Camburi, em Vitória

Fenômeno foi o mesmo que ocasionou o surgimento de vermes no mesmo local. Por Any Cometti, G1 ES

Leia também

Vacina da Pfizer contra Covid-19 entra na última fase de testes clínicos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou que as empresas farmacêuticas Pfizer e BioNTech prossigam para a fase 3 do estudo clínico da...

Prazo para cadastrar barragens está acabando em Goiás

O prazo estabelecido pelo Governo de Goiás para cadastramento de barragens está chegando ao fim. Por isso, até o dia 30 de setembro deste...

Operação Focus investiga origem das queimadas no Pantanal

Técnicos do Instituto de Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul, da Perícia Técnica da Secretaria de Justiça e Segurança Pública do estado, agentes...

RS: Malha de gasodutos foi expandida em 4,3 km neste ano

No Rio Grande do Sul, na região entre Três Coroas e Gramado, a malha de gasodutos já foi expandida em 4,3 quilômetros desde o...