́ MELHOR OBEDECER, AINDA QUE SEJA O TIO ENEIR

Certa feita o meu tio Eneir Guerra me chamou para passar uns dias com ele e a família no balneário de Guriri, São Mateus. A hospedagem foi em uma pequena construção do Senhor Tião da SUCAM, o sogro do Eneir. A comitiva tinha Eneir, Ester, Aretuza e Guilherme, que à época tinha quatro anos, fruto do meu primeiro casamento com a mesma mulher. Na época estava divorciado. A construção era nos fundos de um lote que havia sido aterrado com terra vermelha. O meu carro era estacionado na frente da casinha.

O Guilherme só gostava de se alimentar com leite e chocolate, mas não podia ser frio e nem quente demais. Vendo que aquela história de esquentar o leite e depois esfriar era trabalhosa, dei jeito de arranjar um atalho, o que deixou a Ester e o Eneir curiosos. Enchia o copo exclusivo do Guigo com leite e o chocolate e derramava em uma vasilha. Ligava o fogo e colocava o dedo dentro da vasilha. Assim que eu sentia a quentura do leite o fogo era apagado. A temperatura do leite ficava a ideal.

Todos os dias íamos para a praia e na hora de entrar e sair do terreno o Eneir me advertia de que era para andar devagar com o carro para não afundar na areia. A camada de terra vermelha era fina e por baixo era tudo areia, o que é peculiar nas proximidades do mar. Confesso que achava que era excesso de precaução do Eneir e deixei para desobedece-lo no ultimo dia da nossa estada ali em Guriri Beach.

Chegamos da praia e colocamos a tralha e as bolsas no porta mala. A Ester, Aretuza e Guilherme no banco de trás e o Eneir no banco do carona. Dei uma acelerada e o Eneir falou: Não faz isso não! Hammm, hammm, hammm e sai catando as quadro rodas. O carro não andou um metro e literalmente caiu. O fundo do carro ficou encostado na areia e os pneus dianteiros rodavam em falso. O sol estava uma beleza. Nenhum carro para guinchar o outro.

Saímos pela redondeza e arranjamos umas tábuas. Apoiamos o macaco sobre uma pedra e levantamos um lado, colocando a ponta da tábua sob o pneu. Repetimos o procedimento do outro lado. Fui acelerando cautelosamente até o veiculo se firmar sobre as tábuas e sair daquela areia movediça.

Guriri Beach é a nossa praia. Não desobedeça aos mais velhos, ainda que eles tenham menos juízo que você.

Texto: Creumir Guerra
Creumir Guerra é Promotor de Justiça no Estado do Espírito Santo

Veja mais sobre Creumir Guerra

Leia mais

Leia também