MEC orienta instituições sobre ensino durante pandemia

MEC orienta instituições sobre ensino durante pandemia

Documento sugere que as escolas mantenham um fluxo de atividades escolares não presenciais enquanto durar a situação de emergência
– Foto:
Foto – Prefeitura de Jundiaí

Para orientar instituições de ensino da educação básica e superior sobre as práticas que devem ser adotadas durante a pandemia, o Ministério da Educação (MEC) homologou um conjunto de diretrizes, aprovado pelo Conselho Nacional da Educação (CNE). Vale destacar que a educação básica compreende a educação infantil, o ensino fundamental obrigatório de nove anos e o ensino médio.

O documento publicado nesta semana no Diário Oficial da União, sugere que as escolas mantenham um fluxo de atividades escolares não presenciais enquanto durar a situação de emergência para o cumprimento da carga horária; e busquem alternativas para minimizar a necessidade de reposição presencial de dias letivos após a pandemia. O texto autoriza os sistemas de ensino a computarem atividades não presenciais para o cumprimento da carga horária.

O documento elaborado pelo CNE sugere ainda uma série de atividades não presenciais que podem ser utilizadas pelas redes de ensino durante a pandemia. Videoaulas, plataformas virtuais, redes sociais, programas de televisão e rádio e material didático impresso entregue aos responsáveis são algumas das alternativas possíveis.

Para especialistas, o momento de isolamento social está sendo um desafio para professores e pais. “É um grande desafio para todo mundo. Mas, com certeza, após essa pandemia, vamos sair com grandes aprendizagens. Acredito que a educação não será a mesma após esse momento”, concluiu a pedagoga Xênia Honório.

Confira algumas recomendações por etapas de ensino

 

Educação Infantil

Para a educação infantil, as recomendações para creche e pré-escola, neste momento de pandemia, é que busquem a aproximação virtual dos professores com as famílias para estreitar vínculos; e que as atividades sejam lúdicas, para que as crianças pequenas se desenvolvam brincando.

A pedagoga e pesquisadora dos usos das tecnologias digitais no processo de ensino e aprendizagem, Xênia Honório, falou sobre os desafios das aulas on line na educação infantil.

“Os educadores precisam criar ambientes que sejam os mais lúdicos e diversificados possíveis, para que a criança consiga se envolver com essas aulas. Consigam, realmente, aprender neste tempo que elas passam conectadas. É um desafio para todo mundo, para as crianças, para os educadores e para os pais.”

Ensino Fundamental e Médio

Nos anos iniciais, a recomendação é que as atividades devem ser práticas e estruturadas e não devem exigir que os responsáveis do aluno substituam o trabalho do professor.

Já nos anos finais do Ensino Fundamental e no Ensino Médio, há mais autonomia por parte dos estudantes. Entre as sugestões de atividades, está a distribuição de vídeos educativos.

Ensino Superior e EJA

O CNE sugere que, para a continuidade das atividades de aprendizado no Ensino Superior, as instituições possam disponibilizar atividades não presenciais.

Para a Educação de Jovens e Adultos, a recomendação é que as atividades remotas devem considerar as condições de vida dos estudantes, para haver harmonia na rotina de estudos e de trabalho.

Educação Especial

As atividades pedagógicas não presenciais devem incluir os estudantes com deficiência, transtorno de espectro autista e altas habilidades. E devem envolver parcerias entre profissionais especializados e professores, além de dar orientações e apoios necessários aos responsáveis.

Educação Indígena, do Campo e Quilombola

As escolas poderão ofertar parte das atividades escolares em horário de aulas normais e parte em forma de estudos dirigidos e atividades nas comunidades.

Fim do isolamento

Para repor as aulas ao fim do isolamento social, a diretriz indica utilização de períodos não previstos, como recesso escolar do meio do ano, de sábados, e a reprogramação de períodos de férias. Outras alternativas são a ampliação da jornada escolar diária por meio de acréscimo de horas em um turno ou a utilização do contraturno.

De acordo com o documento, a reorganização dos calendários é de responsabilidade dos sistemas de ensino.

 

Com informações do Ministério da Educação

Leia mais

Decreto federal proíbe queimadas em todo o Brasil por 120 dias

O governo federal anunciou, na noite desta quarta-feira, 15, que foi editado um decreto para proibir o emprego de fogo em áreas rurais por...

Governo tem até dia 31 para enviar proposta orçamentária de 2021

O orçamento do Governo Federal para 2021 ainda não foi enviado ao Congresso Nacional. O texto deve ser encaminhado à Casa Legislativa até o...

Dois pacientes com coronavírus morrem durante queda de energia em hospital no Sul do Espírito Santo

Dois pacientes que estavam internados na Unidade de...

Ministério da Economia divulga orientações para empregadores durante a pandemia

Ministério publicou orientações para trabalhadores e empregadores em relação aos cuidados a serem tomados durante o período de...

Leia também

Em novo decreto, prefeito libera eventos em Barra de São Francisco com até 100 pessoas

DECRETO Nº 294 - DE 22 DE SETEMBRO/2020 AUTORIZA O FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS COM MEDIDAS QUALIFICADAS DE ENFRENTAMENTO DA EMERGÊNCIA DE SAÚDE PÚBLICA DECORRENTE...

Ficha suja: 60 vezes Barra de São Francisco

Barra de São Francisco aparece 60 vezes na lista de gestores com contas rejeitadas que foi entregue à justiça eleitoral. A entrega aconteceu em...