Mala que mobilizou polícia no Espírito Santo tinha roupas e história sobre bomba foi mal-entendido

Esquadrão Antibombas foi acionado na terça-feira (8) para verificar o conteúdo da mala. Avenida Santa Leopoldina foi interditada por três horas e comerciantes precisaram deixar o local.

O mistério sobre mala que foi deixada em um salão de beleza e mobilizou equipes do Esquadrão Antibombas da Polícia Militar na última terça-feira (8) em Itaparica, em Vila Velha, na Grande Vitória, não passou de um mal-entendido.

De acordo com a proprietária do salão, Sheila Ribeiro, de 38 anos, o objeto foi deixado no local pelo marido de uma de suas amigas. No interior dela, ao invés de uma bomba, encontravam-se roupas que estavam sendo vendidas.

De acordo com Sheila, o engano teve início quando o marido de sua amiga chegou com a mala ao salão em um momento em que ela não estava. O homem deixou a mala rapidamente no local e brincou, dizendo que nela havia uma bomba.

“As funcionárias que conheciam ele também não estavam vendo no momento. Somente uma funcionária que é nova e não conhece ele estava lá. Então, ela não o reconheceu. Quando eu cheguei no salão e perguntei de quem era a mala, elas me disseram que um homem deixou a mala e disse que tinha uma bomba dentro. Foi aí que eu me preocupei e disse ‘como uma pessoa fala isso e vocês não fazem nada'”, explicou a proprietária.

A polícia então foi acionada. Em função do possível risco de uma explosão, a Avenida Santa Leopoldina ficou interditada por cerca de três horas, só sendo liberada por volta das 14h30. Os comerciantes do entorno também precisaram sair dos estabelecimentos.

Após um exame de raio X, o Esquadrão Antibombas constatou que não havia explosivos dentro da mala e o objeto foi levado pela Companhia Independente de Missões Especiais (Cimesp) até um local seguro.

Segundo Sheila, ela só descobriu o mal-entendido nesta quarta (9), quando sua amiga, que era a dona da mala, ligou para saber se o objeto havia sido entregue.

“Ela havia me dito há uns três meses que tinha comprado umas roupas e mandaria para eu ver. Mas no dia que o marido dela deixou a mala, ela não me avisou. Ontem ela me ligou e eu contei tudo. Como ela se mudou para a Ponta da Fruta e ainda não instalou a TV, ela não sabia o que aconteceu”, contou Sheila.

A dona do salão e a proprietária da mala já prestaram esclarecimentos à polícia sobre o mal-entendido nesta quinta (10).

 

Leia mais

Leia também