Mais uma empresa adere ao programa

Mais uma empresa privada, a terceira, firmou contrato com o Governo Federal para participar do programa Adote um Parque. Nessa quarta-feira (17), o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, assinou o protocolo com a Coopecredi Guariba – Cooperativa de Crédito, que adotará a Unidade de Conservação Extrativista de São João da Ponta, no Pará.

“O parque receberá recursos que serão destinados pela Cooperativa de Guariba justamente para recuperação de áreas que precisam ser recuperadas, áreas degradadas, também a recuperação e a manutenção da infraestrutura do parque. A fiscalização também será reforçada. Eventualmente, se necessário, aquisição de equipamentos, então, uma melhoria grande. Praticamente, dobra o orçamento que nós temos para cuidar dessa unidade”, afirmou o ministro Ricardo Salles.

Adote um Parque

O Adote um Parque foi lançado pelo Governo Federal em fevereiro deste ano, para atrair recursos necessários a custear a manutenção das unidades de conservação federais de todo o país. Nesta primeira fase, o programa beneficiará 132 parques da Amazônia Legal, que representam cerca de 15% do território de todo o bioma. O Brasil possui, atualmente, segundo o Ministério do Meio Ambiente, 334 unidades de conservação federais, várias delas com grande potencial turístico.

“Nós estamos fazendo um chamamento para que os brasileiros, as pessoas físicas e jurídicas aqui no Brasil ou até no exterior consultem a lista de unidades de conservação e escolham aquelas que eles têm interesse e capacidade financeira para adotar. E estarão cuidando de 15% da Amazônia de maneira muito concreta”, ressaltou o ministro.

O que prevê o programa

Ao adotar um parque, pessoas e empresas poderão contribuir com a proteção legal do meio ambiente. O interessado se compromete, por um período de um ano, a pagar 50 reais ou dez euros por hectare de terra. A área desses parques varia entre 2.574 e 3.865.172 hectares, permitindo diferentes níveis de investimentos. Os recursos podem ser aplicados, por exemplo, em ações de combate a incêndios, desmatamentos e também em recuperação de áreas degradadas, reconstrução de cercas, pontes, aquisição de viaturas e infraestrutura em geral.

Segundo o ministro do Meio Ambiente, os interessados em participar do programa Adote um Parque serão reconhecidos como Parceiros da Amazônia.

“Todos aqueles que adotarem parque na Amazônia tem um benefício imediato, de ser Parceiro da Amazônia. Esse projeto do Adote um Parque confere ao adotante essa qualidade, esse adjetivo de poder se colocar como parceiro da Amazônia, que é o nosso grande bioma, a maior floresta tropical do planeta”, acrescentou.

Quem já adotou o programa

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, já assinou contrato com a empresa Genial Investimento e o Carrefour.

A Genial Investimento adotou uma área da Unidade de Conservação Arie Dinâmica Biológica Fragmento Florestal, localizada entre os municípios de Manaus e Rio Preto da Eva. Já o Carrefour, adotou uma área da Reserva Extrativista do Lago do Cuniã, em Rondônia.

As doações são enviadas diretamente às Unidades de Conservação, gerando transparência total e a garantia de que os serviços e produtos repassados de fato chegarão ao local.

Acesse a lista completa das 132 Unidades de Conservação selecionadas para participar do Adote um Parque

Mais uma empresa adere ao programa

Ao adotar um parque, pessoas e empresas poderão contribuir com a proteção legal do meio ambiente. Foto: Victor Moriyama/Funbio

Leia mais

Leia também