Mais de R$ 500 mil para capacitar mulheres em situação de vulnerabilidade

Mais de R$ 500 mil serão investidos por meio do projeto Qualifica Mulher, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), na capacitação profissional de 1.200 mulheres em situação de vulnerabilidade social em Tocantins. A parceria da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM) com a Universidade Federal do Tocantins (UFT) beneficiará mulheres com idades entre 22 e 55 anos, por meio de 11 cursos.

“Estamos trabalhando de forma regionalizada para que a política pública de fato possa beneficiar todas as mulheres. A parceria com a Universidade do Tocantins nos permitirá atender as mulheres justamente neste momento em que os impactos da Covid-19 exigem ações imediatas”, afirmou a titular da SNPM, Cristiane Britto.

A pró-reitora da UFT, Maria Santana, concorda. “O foco é trazer autonomia a essas mulheres que vivem em situação de vulnerabilidade social, dando atenção especial às quilombolas, ribeirinhas e periféricas.”

Inscrições

As mulheres interessadas deverão ficar atentas à divulgação da abertura das inscrições de cada curso. A divulgação será feita por meio do site oficial e redes sociais da UFT e em cada município, por meio das secretarias de Desenvolvimento e dos Centros de Referência da Assistência Social (Cras).

No início de fevereiro serão abertas, em algumas localidades, as inscrições para dois cursos: “Informação, motivação e valorização da Mulher” e “Empreendedorismo, Governança, Associativismo e Cooperativa”. Serão 300 vagas disponíveis para esses cursos, que ocorrerão de março a junho de 2021.

Nesse período, as inscrições serão abertas nos municípios de Araguatins (TO) e Palmas (TO) e nas comunidades quilombolas Barra da Aroeira, em Santa Tereza do Tocantins (TO), Comunidade Quilombola Lagoa da Pedra e Comunidade Quilombola Kalunga, em Arraias (TO), e Ilha de São Vicente, em Araguatins (TO).

Além dos temas específicos, todos os cursos abordarão motivação e autoestima, leitura, saúde e direito da mulher. Haverá discussões sobre as formas de prevenção da violência contra a mulher e sobre a cultura empreendedora. O objetivo é buscar contribuir para a ampliação das possibilidades de geração de trabalho e renda, a elevação da autoestima e a melhoria das condições de vida.

Leia mais

Leia também