Mais de 7 milhões de empregos já foram mantidos com Benefício Emergencial

e33bc5e7-9afb-4db1-a5bb-ff23f2a9df18.jpeg

Os recursos para o pagamento do benefício pelo governo somam R$ 12,7 bilhões
– Foto:
Divulgação/EBC

Cerca de 7,2 milhões (7.206.915) de postos de trabalho já foram mantidos no País desde que o Governo Federal lançou o Benefício Emergencial para Preservação da Renda e do Emprego. Para isso, foram destinados R$ 12,7 bilhões de reais. A previsão é pagar até 18 de maio mais R$ 1,7 bilhão a 1.418.684 empregados.

O BEm foi criado por meio da Medida Provisória 936/2020 e ajuda empresários e trabalhadores no enfrentamento da pandemia no novo coronavírus. O programa prevê o pagamento de benefício ao empregado que tiver a jornada de trabalho reduzida ou o contrato de trabalho suspenso temporariamente. O valor destinado pelo governo tem como base de cálculo o seguro-desemprego a que ele teria direito.

O escrevente Afonso Henrique dos Santos trabalha em um cartório no Distrito Federal e é um dos beneficiários da medida. Com a Covid-19, as atividades no local caíram por volta de 70% e, para não ter que demitir funcionários, o seu empregador aderiu ao BEm. Com um faturamento menor, a saída da empresa foi suspender, por três meses, o contrato de trabalho de metade dos funcionários do cartório.

Para Afonso, a medida adotada pela chefia foi importante para não haver demissões enquanto a receita do cartório está mais baixa. “Concordei com os termos e achei necessário por conta do momento que estamos vivendo. Sabemos que muitas empresas não optaram por essa ação e acabaram demitindo parte de seus funcionários. Essa medida protegeu muito os nossos empregos”, disse. “Manteremos esperança de retorno ao trabalho e que tudo se normalize o mais rápido”, completou.

Balanço

Balanço da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia mostra que quase 55% (54,9%) dos beneficiados tiveram suspensão do contrato de trabalho. A redução de 50% da jornada e remuneração representa 17,2%. Já a redução de 70% chegou a 12,2% dos trabalhadores, e a de 25%, a 13,4% de empregados. Os intermitentes respondem por 2,3% do total.  

O estado com maior percentual de empregos preservados até o momento é São Paulo, com 33%, seguido por Rio de Janeiro (10,1%) e Minas Gerais (9,5%).

A maior parte dos trabalhadores atendidos tem entre 30 e 39 anos (30,8%), seguido por pessoas com idade de 40 a 49 anos (20,7%). Os jovens de 18 a 24 anos representam 17,4%. O valor do benefício médio é de R$ 1.766,50, com parcela mensal média de R$ 720,73.

Os dados do Ministério da Economia foram calculados até às 14h de terça-feira (12).

 

Leia mais

Ceasa realiza cadastro de interessados na comercialização do mercado da unidade

As Centrais de Abastecimento do Espírito Santo (Ceasa/ES) realizam o cadastro público caracterizado como de interesse...

Secretaria da Saúde divulga 26º boletim de Covid-19

O Espírito Santo registra 39 casos confirmados do novo coronavírus (Covid-19) até esta terça-feira (24). Um...

Brasil: cantor morre após sofrer dois acidentes em menos de 3 horas

Cantor havia saído ileso de acidente de carro, mas caiu de moto horas depois e morreu. Por Lucas Pessoa e Maria Romero, G1 PI O cantor...

Prefeito quer reduzir o próprio salário e de secretários durante a pandemia

A Prefeitura da Serra vai enviar, nesta segunda-feira...

Leia também

Homem morre após cair de parapente no ES

Um homem morreu depois de cair de um...

Acidente na rodovia que liga Nova Venécia a Vila Pavão deixa feridos

Um grave acidente foi registrado na tarde deste...

Auxílio de R$600: Próximos pagamentos serão automáticos para quem já tem o benefício

Após o anúncio da prorrogação das parcelas do...

Polícia apreende moto clonada também em Barra de São Francisco

No último sábado, 11 de julho de 2020, policiais de Barra de São Francisco avistaram uma motocicleta NXR 160 BROS estacionada de maneira irregular...