Mais de 36 mil pessoas entraram com pedido de seguro-desemprego no Espírito Santo

Por Aurélio de Freitas, TV Gazeta

Mais de 36 mil trabalhadores do Espírito Santo deram entrada no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) com pedido de seguro-desemprego. O número corresponde ao período que vai da segunda quinzena de março até o final de maio, quando tiveram início as medidas de isolamento social para conter a pandemia do novo coronavírus no estado, que tiveram forte impacto na economia.

Segundo dados da Secretaria do Trabalho, do Ministério da Economia, ao todo, 36.780 trabalhadores fizeram o pedido de seguro-desemprego, de março a maio, no Espírito Santo.

Apenas no mês de maio, foram feitos 18.159 novos pedidos. O número representa um aumento de 36% nos pedidos feitos no mês de abril e é 51% maior ao que foi registrado em maio do ano passado.

O superintendente regional do Ministério do Trabalho, Alcimar Candeias, explica que o aumento no número de pedidos está diretamente ligado a pandemia do novo coronavírus.

Além do desemprego, Espírito Santo ainda teve queda nas contratações sazonais, que acontecem apenas algumas épocas do ano para períodos específicos.

“A pandemia afeta a economia e, consequentemente, o mercado formal de trabalho. Nós observamos então um aumento no desemprego e nos pedidos do seguro desemprego. Neste ano, a Páscoa e o Dia das Mães, importantes datas para o comércio, e a colheita de café e cana-de-açúcar aconteceram durante a pandemia e medidas de isolamento social”, disse.

A superintendência regional do Ministério do Trabalho ainda apontou que 120 mil postos formais foram mantidos no período por causa da concessão de benefícios sociais pelo governo federal.

Entre esses benefícios está a complementação de renda pelo governo quando o empregador adere a redução de salário e carga horária.

Uma das vítimas da crise econômica provocada pela pandemia de coronavírus foi o porteiro Dyego de Oliveira. Ele testou positivo para Covid-19 e foi demitido logo depois que voltou a trabalhar, já curado. Neste mês, ele vai receber a primeira das cinco parcelas do seguro.

“No dia que eu voltei do atestado, o meu chefe me chamou para conversar e disse que ia precisar me desligar da empresa por causa da crise econômica. Eu fiquei sem chão, porque não esperava”, contou.

Ele e a esposa agora estão sem emprego. Embora acredite que o benefício vai ajudar a pagar as contas, ele disse que já procura um novo trabalho.

Aumentam os pedidos do seguro-desemprego em todo o país — Foto: Reprodução

Aumentam os pedidos do seguro-desemprego em todo o país — Foto: Reprodução

Brasil

A Secretaria de Trabalho do Ministério da Economia informou nesta terça-feira (9) que foram registrados 960,2 mil pedidos de seguro desemprego em maio em todo o Brasil.

Esse número é 53% maior que o verificado no mesmo mês do ano passado, quando houve 627,7 mil pedidos.

Leia mais

Espírito Santo chega a 3.359 mortes e 109.750 curados com 120.252 casos de Coronavírus

O Espírito Santo registrou, até esta segunda-feira (14), 3.359 mortes por Covid-19. O número de casos confirmados chegou a 120.252. O índice de letalidade...

Governo Federal atende os mais vulneráveis durante pandemia

Mãe de uma filha de 7 anos, Claudiene Ferreira é cabeleireira e tem um salão de beleza que é sua fonte de renda para...

CONFIRMADO O SEGUNDO CASO POSITIVO PARA O NOVO CORONAVÍRUS EM ECOPORANGA

A Prefeitura de Ecoporanga, por meio da Secretaria Municipal de Saúde informa, na tarde deste domingo,...

Cachorros são resgatados por bombeiros em morro de Vitória

Uma cadela e dois filhotes foram resgatados de cima de uma pedra no bairro São Pedro, em Vitória, nesta segunda-feira (10). O Corpo de Bombeiros...

Leia também