Maio Amarelo tem início no Estado com ações digitais e campanha para trânsito mais seguro e gentil

Foto: Hélio Filho/Secom

Foi lançado oficialmente nesta semana o movimento Maio Amarelo no Espírito Santo, em transmissão ao vivo pelas redes sociais do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (DetranES). O evento on-line contou com a participação do governador do Estado, Renato Casagrande e do diretor geral do Detran|ES, Givaldo Vieira. Serão desenvolvidas ações digitais, além de uma campanha educativa visando um trânsito mais seguro e gentil.

Na abertura do evento, o governador Casagrande falou sobre a necessidade do respeito no trânsito. “Infelizmente, mesmo depois de tantos anos e tantas campanhas do Maio Amarelo, ainda temos pessoas morrendo e sendo mutiladas por conta de imprudência no trânsito. Temos um trabalho gigantesco de orientação e fiscalização, além da realização de investimentos para termos vias mais sinalizadas e em melhores condições.  O trânsito é uma atividade que exige respeito para que possamos salvar mais vidas e o caminho é a educação e conscientização”, destacou.

O diretor geral do Detran|ES, Givaldo Vieira chamou atenção para a carga de ansiedade que a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) trouxe para as pessoas, afetando também o comportamento no trânsito. Ele lembrou ainda das consequências que os acidentes levam também às famílias das vítimas.

“Temos no trânsito uma outra pandemia que se sustenta há dezenas de anos, tirando a vida de milhares de capixabas e brasileiros, dizimando famílias, que ficam afetadas, e essas vítimas, muitas vezes, são provedores dos lares. O Maio Amarelo tem a atribuição de chamar atenção da sociedade de que acidentes são evitáveis, pois em 90% dos casos são ocasionados por falha humana. Neste mês, em especial, convoco a todos para conversarem com seus familiares, amigos e vizinhos sobre a importância de praticarem o respeito e a responsabilidade no trânsito, e de usarem adornos amarelos”, salientou Givaldo Vieira.

Neste ano, de acordo com a diretora técnica do Detran|ES, Édina de Almeida Poleto, o órgão utilizará, por meio de campanha publicitária educativa na televisão, rádio, Internet, mobiliário urbano, ações educativas e palestras digitais, o conceito do Movimento Trânsito do Bem.  “A nossa intenção neste Maio Amarelo é colocar em pauta a segurança viária, a empatia com a vida das pessoas no trânsito e de mobilizar toda a sociedade para discutir o tema, estimulando o cidadão ao amplo debate das responsabilidades e a avaliação de riscos sobre o comportamento de cada um nas vias”, disse.

Respeito e responsabilidade

Para o coordenador geral de Educação e Saúde para o Trânsito do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Eduardo Valenga, também existe uma pandemia no trânsito, mas que existe vacina. “Trata-se de educação, engenharia, esforço legal e a participação com responsabilidade de cada um para um trânsito mais seguro”, comparou.

Valenga também afirmou que está sendo trabalhado, por mais de 100 especialistas no País de instituições públicas e privadas, o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans), que em breve passará por consulta pública com vistas à edificação de propostas, como as ligadas ao atendimento às vítimas de trânsito, reabilitação e unificação de informações sobre acidentes fatais de trânsito nos níveis municipal, estadual e federal dentro de um único banco de dados.

Já o diretor-presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária, José Aurelio Ramalho, conclamou a sociedade para que não entenda o tema do Maio Amarelo deste ano como um mero slogan (“respeito e responsabilidade: pratique no trânsito”). “Não é um acidente. É uma escolha. O cidadão escolhe a velocidade do carro, escolhe colocar ou não o filho na cadeirinha, usar o cinto de segurança, falar ao celular. São escolhas alicerçadas no respeito e na responsabilidade dele como cidadão”, frisou.

Acidentes fatais

No Espírito Santo, até março deste ano, 165 pessoas perderam a vida por decorrência de acidentes de trânsito, sendo que, desse total, 48% eram motociclistas, de acordo com os dados do Observatório Estadual de Segurança Pública, da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp). No acumulado de 2020, no entanto, foi registrada uma redução de 7,1% (806 / 749) no número de vítimas fatais no trânsito se comparado ao total de 2019.

Link para acesso ao relatório mensal


Leia mais

Leia também