Lojas que só vendem chocolate podem funcionar no Espírito Santo

As lojas que têm o chocolate como principal produto de comercialização podem funcionar normalmente durante o período de fechamento total no Espírito Santo.

Na tarde desta quinta-feira (25), o governador Renato Casagrande anunciou medidas mais rígidas para conter o avanço da covid-19, incluindo até a paralisação dos ônibus do Sistema Transcol, mas os estabelecimentos que vendem chocolate não serão afetados. O novo decreto com as ações mais restritivas começa a valer neste domingo (28) e vai até o dia 4 de abril.

Segundo informações confirmadas pelo governo do Espírito Santo, por estarem na categoria de produtos alimentícios, as lojas de chocolate podem continuar funcionando com atendimento presencial, respeitando os limites de pessoas dentro dos estabelecimentos e mantendo cuidados como o uso de máscaras e álcool em gel.

Dessa forma, as lojas de chocolates devem seguir as mesmas regras de outros estabelecimentos do gênero, como padarias e supermercados: funcionamento liberado de segunda-feira a sábado, em horário normal, e fechamento aos domingos e feriados.

Em 2020, mesmo com as restrições impostas no início da pandemia, as lojas do gênero também foram autorizadas a funcionar nos dias que antecederam a Páscoa. Alguns estabelecimentos ofereceram os serviços de delivery e drive-thru, mas muitas pessoas procuraram as lojas e houve registros de aglomerações porque os locais que não tinham apenas o chocolate como atividade principal puderam abrir.

Novo decreto

Além da prorrogação do fechamento total, que agora passa a valer até o dia 4 de abril (domingo de Páscoa), houve alteração na classificação dos serviços essenciais. Bancos, financeiras, casas lotéricas, lojas de material de construção, oficinas mecânicas, entre outras atividades, deverão ficar fechados. Além disso, o Transcol e os transportes coletivos municipais também estão suspensos por oito dias. No entanto, está permitido o funcionamento de clínicas médicas veterinárias e a comercialização de alimentos.

 

Leia mais

Leia também