Live sobre música na primeira infância acontece nesta quarta-feira

Os primeiros anos de vida são o período com a maior “janela de oportunidades” para o desenvolvimento humano integral. O que a criança aprende na Primeira Infância serve de base para tudo o que ela aprenderá ao longo de sua vida. Nesta quarta-feira (17), às 15h, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setades) realiza a live “Tem Música no Play da Primeira Infância”, com a educadora musical Fabíola Moreira. A realização é da Subsecretaria de Articulação de Politicas Intersetoriais (Subapi) e a atividade é destinada a profissionais do Programa Criança Feliz, da rede socioassistencial e outros interessados.

Confira o Link: meet.google.com/ebu-ppry-zkb

A live será realizada pelo Google Meet e tem como finalidade colaborar com profissionais da rede socioassistencial e, principalmente, com os profissionais do Programa Criança Feliz. Na live será feita a apresentação de atividades lúdicas de estimulação das dimensões do desenvolvimento infantil (socioafetiva, cognitiva, motora e de linguagem/comunicação), por meio da música.
“A conexão estabelecida entre as pessoas e os sons é tão primordial, que se inicia antes mesmo do nascimento. Sabe-se que a formação das estruturas auditivas no bebê se dá logo nos primeiros meses de gestação, o que aponta uma relação muito íntima e sensível do ser humano com essa forma cognitiva”, explicou a gerente de Capacitação Articulação e Mobilização da Subapi, Eliete Rodrigues Souza.

Ela acrescentou que, na Primeira Infância, o bebê tem contato com a sua primeira referência de ritmo musical: o batimento cardíaco materno. “Antes de nascer, ele já aprecia as batidas do coração da mãe, o timbre da sua voz e, após o sistema auditivo estar formado, todo o repertório musical e os sons com os quais a mãe tem contato”, afirmou.
A secretária de Estado do Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social, Cyntia Grillo, reforçou que, nos últimos anos, governo e sociedade entenderam que priorizar a infância é uma estratégia inteligente, que permite maiores ganhos sociais e que o investimento na Primeira Infância mostra potência para reduzir iniquidades, enfrentar a pobreza e construir uma sociedade com condições sociais e ambientais sustentáveis.

“Em 2016, o Governo do Estado aderiu ao Programa Federal Criança Feliz e, no final de 2018, sancionou a Lei nº 10.964/2018, que institui a Política Estadual Integrada pela Primeira Infância do Espírito Santo. Isso reforça a atenção do Governo do Estado e o foco das políticas públicas ao atendimento de crianças nesse ciclo de vida e suas famílias, regulamentada pelo Decreto Estadual nº 4.494/2019”, reforçou a secretária, enfatizando que o que a criança aprende na Primeira Infância serve de base para tudo o que ela aprenderá ao longo de sua vida.

De acordo com a subsecretária de Articulação de Politicas Intersetoriais, Márlei Vieira, o Ministério do Desenvolvimento Social, atualmente denominado Ministério da Cidadania, lançou, em 2016, o Programa Criança Feliz para reforçar a implementação do Marco Legal da Primeira Infância (Lei nº 13.257/2016), que visa a promover o desenvolvimento integral das crianças de 0 a 6 anos e a fortalecer as competências da família, para que elas reforcem as competências de suas crianças, buscando contribuir para a quebra do ciclo de pobreza, redução da violência, diminuição da evasão escolar, dentre outros ganhos sociais.
“Este Programa é uma importante ferramenta para que as famílias com crianças de 0 a 6 anos ofereçam a seus filhos instrumentos para promover o desenvolvimento cognitivo, emocional e psicossocial”, completou Márlei Vieira.

Primeira Infância e música 

Escutar música é uma das atividades mais estimulantes para o intelecto das crianças, sendo um dos aprendizados mais agradáveis e divertidos. É na primeira infância que a criança vai construindo um repertório de sons sem sentido semântico, o balbucio, que funciona como ponte entre escuta e fala, o que ocorre ainda nos primeiros meses de vida.
Conforme os estímulos aos quais a criança é exposta, o balbucio pode assumir significado musical intencional. Nessas trocas musicais entre balbucio, som, música e palavra são criados vínculos afetivos entre criança e música, entre outras crianças e todos que estão ali envolvidos.

À medida que vão crescendo, a construção do social vai se tornando cada vez mais expressiva na vida das crianças. De maneira orgânica, a música também se faz presente no contato com o repertório, possibilitando conhecer diversas tradições musicais.
A criança que vive em contato com a música aprende a conviver melhor com outras crianças, estabelecendo uma comunicação mais harmoniosa. Nesta idade a música as encanta, dá-lhes segurança emocional, confiança, porque sentem-se compreendidas ao compartilhar canções e inseridas num clima de ajuda, colaboração e respeito mútuo.

A música proporciona: 

– Melhor coordenação motora;

– Desperta a sensibilidade e criatividade;

– Ajuda a criança a se comunicar;

– Trabalho em grupo

– Aumento da autoestima;

– Aprendizagem do alfabeto, de ritmos, etc.

Live da Setades sobre música na primeira infância acontece nesta quarta-feira

Leia mais

Leia também