Lei Kandir: falta de orçamento atrasa a primeira parcela de 2021

O atraso na primeira parcela de 2021 dos recursos da Lei Complementar 176/2020,  referente à recomposição por perdas ocasionadas pela Lei Kandir, ocorreu devido à ausência de autorização orçamentária por parte do governo federal. Segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM), o repasse de janeiro deveria ter sido creditado até o fim do mês.

A Secretaria do Tesouro Nacional (STN) informou que os Estados e o Distrito Federal receberão o recurso assim que a União providenciar orçamento. Assim, será disponibilizada a primeira parcela correspondente aos R$ 4 bilhões do exercício de 2021. 

Retorno das atividades no Congresso será marcado por análise de projetos orçamentários

Dívidas honradas pela União em 2020 bateram recorde

Têm direito aos recursos todos os Municípios que assinaram a declaração de renúncia exigida no Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi), dentro do prazo de 31 de dezembro a 14 de janeiro.

Dinheiro. Foto: Agência Brasil.

Leia mais

Leia também