Lei do Gás pode destravar bilhões em investimento no Brasil e em São Paulo

O estado de São Paulo está investindo no mercado de gás natural, petróleo e energias renováveis. Por meio de protocolo firmado em julho pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do estado (SIMA) com a Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção (Abendi), o objetivo é promover a formação de profissionais que atuarão nas indústrias dos setores de petróleo, gás e energias renováveis, promovendo o desenvolvimento sustentável e a preservação ambiental. 

O estado, que recentemente tem avançado mais no tema, pode se beneficiar de uma discussão mais antiga sobre o gás natural no Congresso Nacional. O projeto de lei 6407/2013, que promete instituir a Nova Lei do Gás, vem com intuito de baratear o preço do gás natural por meio da abertura de mercado e da ampliação de gasodutos pelo país, segundo especialistas. 

“Segundo levantamento da Associação dos Grandes Consumidores de Energia (Abrace), a lei pode destravar mais de R$ 40 bilhões em investimentos no país inteiro e no estado de São Paulo, principalmente, já que concentra a maior parte da indústria nacional”, acredita o deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP). 

O parlamentar explica que o texto de lei pode baratear não só a energia, mas também fazer com que o Brasil deixe de importar o chamado GLP (gás liquefeito de petróleo), que pode ser usado como combustível em aplicações de aquecimento e veículos. “A aprovação da lei pode diminuir o custo até do gás de cozinha. A abertura de mercado vai diminuir o custo de produtos produzidos pela indústria na ponta e do gás de botijão”, elenca Kataguiri. 

A abertura do mercado, segundo o deputado, é um dos pontos mais relevantes na lei. Outro ponto a ser destacado, na opinião dele, é o de acabar com a capacidade ociosa de uma infraestrutura de gás natural. “Isso quer dizer que caso o proprietário de determinado gasoduto não esteja utilizando toda a capacidade dessa infraestrutura, ele necessariamente precisa deixá-la à disposição para que outros empreendedores do setor a utilizem, o que também vai baratear e aumentar a competição no setor. As indústrias podem ser muito beneficiadas”, defende.

A baixa oferta e a falta de concorrência no mercado torna o preço do combustível no país um dos mais altos do mundo, sendo essa a principal crítica do setor produtivo. Em 2019, o Ministério de Minas e Energia (MME) estimou que o custo do fornecimento do gás natural no país era de US$ 10,4 por milhão de BTU, unidade térmica usada no mercado internacional. Na Argentina, esse valor, no ano passado, era de US$ 4,6 e nos Estados Unidos, US$ 3,13.

Dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgados em junho, estimam que a redução pela metade no preço do gás natural pode triplicar investimentos em setores industriais altamente dependentes de energia, chegando a US$ 31 bilhões por ano em 2030.

O advogado e secretário da Comissão de Políticas Públicas da OAB-GO, Eliseu Silveira, observa que a livre concorrência pode ser benéfica para todas as etapas de produção do gás. “Se há muita oferta, o preço diminui. Se há muita procura e pouca oferta, o preço sobe, isso é lei de mercado”, esclarece Silveira.

Infraestrutura

Se aprovada na Câmara, a Nova Lei do Gás poderá reduzir a burocracia para construção de gasodutos, tubulações utilizadas para transportar gás natural. O relator da proposta, deputado Laércio Oliveira (PP-SE), afirmou que o projeto pode ser votado nos próximos dias. Segundo o relator, há “um ambiente propício” para a aprovação do parecer na Câmara. 

A norma propõe também que as companhias precisem apenas de autorização da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que regula o setor no país, em vez de passar por licitação pública para construir essas estruturas. A exceção a essa regra são os gasodutos que são operados em regime especial por força de acordos internacionais de fornecimento de gás natural.

Segundo o diretor de eletricidade e gás da Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) e coordenador-adjunto do Fórum do Gás, Bernardo Sicsú, a expansão da malha de gasodutos pode reduzir os custos de transporte e baratear o preço final do gás natural. “Essa simplificação e desburocratização são fundamentais para acelerar o processo de transformação no setor. Os benefícios vão refletir de forma mais rápida na economia”, acredita.

Foto: Câmara dos Deputados

Leia mais

Bolsistas mantêm rotina de treinos mesmo durante isolamento social

A propagação da Covid-19, doença causada pelo novo Coronavírus, mudou drasticamente a rotina das pessoas em...

PMB de Barra de São Francisco tem novo comando

Foi publicado no sistema do TSE, nesta quarta-feira (26), a nova comissão provisória do Partido da Mulher Brasileira que, agora, conta tem em sua...

Plano Setorial para Recursos do Mar é aprovado por comissão interministerial

No fim do mês passado, a Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (CIRM) aprovou o 10º Plano Setorial para os Recursos do Mar...

Colheita de café com expectativa de quebra no Espírito Santo e na Bahia

Com mais da metade dos grãos de conilon já colhidos no Espírito Santo e na Bahia, a estimativa dos produtores é de uma quebra...

Leia também

Gato que foi ferido com vergalhão no Espírito Santo foge de abrigo onde recebia tratamento

O animal foi resgatado depois de ter sofrido maus-tratos e estava sendo cuidado por uma protetora de animais. Ele fugiu da casinha durante a...

Mourão diz que Auxílio Emergencial ‘seria mais eficaz’ caso tivesse sido pago valor menor por mais tempo

Vice-presidente da República esteve no Espírito Santo nesta quarta-feira (2) para evento realizado pela Rede Gazeta. Ele também defendeu reformas administrativa e tributária, além...

Espírito Santo chega a 4.322 mortes e 178.450 curados com 193.825 casos confirmados de Covid-19

Na comparação com os dados divulgados nesta terça-feira (1), o aumento é de 26 mortes e 1.852 novos casos da doença. Teste Covid-19 — Foto:...

Polícia prende 37 pessoas na 8ª fase da Operação Sentinela no Espírito Santo

Além das prisões, a polícia cumpriu 49 mandados de busca e apreensão. Dez armas foram apreendidas, além de munição, dinheiro e vários tipos de...