“Junta militar de Mianmar está cometendo um genocídio”, diz relator especial da ONU

Autoridades de direitos humanos estão conclamando a comunidade internacional a fazer mais para impedir o derramamento de sangue em Mianmar, depois que mais de 100 civis foram supostamente mortos pela junta militar de Mianmar que derrubou o governo eleito do país.

O Relator Especial da ONU para os direitos humanos em Mianmar, Tom Andrews, disse que é hora de “uma ação robusta e coordenada”, já que “palavras não são suficientes” para proteger a vida das pessoas, informou neste domingo a CNN.

 

 

(Foto: Reuters/Stringer)

Leia mais

Leia também