Juiz cita ‘Alice no País das Maravilhas’ em condenação de réus pela morte de Milena Gottardi

“Entendam os seus medos, mas jamais deixem que eles sufoquem os seus sonhos”. A frase escrita pelo autor Lewis Caroll, no livro “Alice no País das Maravilhas” foi usada pelo juiz Marcos Sanches para se referir diretamente às duas filhas de Milena Gottardi no texto da sentença que condenou à prisão os seis acusados pelo assassinato da médica nesta segunda-feira (30). A reportagem é de Maíra Mendonça, no G1 ES.

As meninas, atualmente com 13 e 6 anos de idade, perderam não só a mãe – assassinada em setembro 2017 – mas também o pai, Hilário Frasson, condenado a 30 anos de prisão por planejar e mandar matar Milena.

Na sentença, Marcos Pereira Sanches, juiz que presidiu o Tribunal do Júri, pontua que Hilário provocou danos “incalculáveis” às duas filhas, que muito vão além do desamparo financeiro decorrente da morte de Milena.

Conforme pontuou o juiz, as crianças tornaram-se órfãs de mãe “justamente em um momento extremamente sensível da vida humana, momento de formação moral, intelectual, religiosa, psicológica e afetiva, deixando-as com uma espécie de vácuo sentimental, que só não foi ainda pior em razão da firme presença e cuidados dispensados pelos familiares da vítima, mas que, mesmo assim, por mais que se esforcem, por certo não serão suficientes para substituir a presença e o amor da própria mãe”.

Ao homenagear as duas meninas, Sanches destacou que, embora não vivam no “País das Maravilhas”, elas “carregam em si a força e a garra de todas as mulheres, hoje representadas na figura da avó materna, dona Zilca Gottardi, e com o amor e apoio dos que as acolheram seguirão seus caminhos na esperança de dias melhores”.

Além da referência à Alice no País das Maravilhas, o juiz também citou José Saramago para enfatizar que Hilário transformou a figura do pai super-herói em vilão.

O trecho destacado do escritor português diz o seguinte: “não decepcione o herói que seu filho acha que você é; o herói honesto, gentil, humano que pode ser todos os dias; não daqui a dez ou vinte anos, agora; como posso ser um herói e continuar sendo pelo resto da vida para os meus filhos? Quando a gente não decepciona nossos filhos, a gente não decepciona a criança que a gente já foi um dia; passei a vida tentando não decepcionar a criança que fui.”

No documento, o juiz afirma que Hilário Frasson demonstrou “extrema frieza, maldade desmedida, tendo um comportamento perverso e extremamente agressivo, fatos que revelam uma personalidade desajustada e sem compaixão com a vida de sua própria esposa e mãe de suas duas filhas”.

Ao pontuar o rastro de consequências do crime arquitetado por Hilário, Sanches também destacou a dor de Zilca Gotattardi, a mãe de Milena. Ao longo dos oito dias de julgamento do caso, dona Zilca se retirou nos momentos em que os acusados estiveram presentes no salão do júri.

“Além disso, presente ainda a imensa dor gerada na genitora da vítima decorrente da morte violenta de um ente querido, a qual se torna ainda mais intensa e infindável quando há inversão da ordem natural da vida com a perda de uma filha”, disse o juiz.

Irmão e mãe de Milena Gottardi após condenação de réus no ES — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Irmão e mãe de Milena Gottardi após condenação de réus no ES — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

O magistrado também considerou os pacientes que deixaram de ser acompanhados por Milena. A médica oncologista era especializada no tratamento de crianças com câncer.

“Nas palavras de uma das testemunhas, (Milena) deixou várias crianças “órfãs” da assistência médica que recebiam no Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (HUCAM), além de prejudicar – e muito – a continuidade do tratamento médico das crianças do Hospital Infantil, fazendo com que, além da dor e sofrimento decorrentes da própria doença, ficassem desamparadas da enorme confiança e afeto inerentes ao respectivo tratamento efetuado pela vítima”, ressaltou.

Após oito dias de julgamento, o Tribunal do Júri de Vitória condenou, na noite desta segunda-feira, os acusados de matar Milena Gottardi. Além do ex-marido da médica, Hilário Frasson, o sogro dela, Esperidião, e outros quatro investigados foram condenados.

  • Hilário Frasson

Ex-marido de Milena Gottardi, ele foi condenado a 30 anos de reclusão por homicídio qualificado, feminicídio e fraude processual. Apontado como mandante do crime, está preso desde 21 de setembro de 2017.

  • Esperidião Frasson

Pai de Hilário e sogro de Milena. Ele foi condenado por homicídio qualificado, feminicídio e fraude processual. Também mandante do crime, foi preso no dia 21 de setembro de 2017.

  • Valcir da Silva

Um dos intermediário do crime. Conhecia Hilário, porque estudou com ele. Valcir afirmou em depoimento que dois meses antes do crime recebeu uma ligação de Hilário pedindo ajuda para matar Milena. Ele foi preso no dia 21 de setembro de 2017 e condenado a 26 anos e 10 meses de reclusão por homicídio qualificado, feminicídio e fraude processual.

  • Ermenegildo Palauro Filho

Junto com Valcir, foi apontado como intermediário do crime. Conhecia Hilário e Esperidião há mais de 30 anos. Foi preso no dia 25 de setembro de 2017 e condenado a condenado a 26 anos e 10 meses de reclusão por homicídio qualificado, feminicídio e fraude processual.

  • Dionathas Alves Vieira

Apontado como atirador de Milena, ele confessou o crime. Foi contratado por Valcir e Ermenegildo para realizar o crime. Em depoimento, Dionathas disse que receberia R$ 2 mil para matar a médica. Foi preso no dia 16 de setembro de 2017.

Dionathas foi condenado a 18 anos e 8 meses de prisão por homicídio qualificado, feminicídio e fraude processual.

  • Bruno Rodrigues

Cunhado de Dionathas. Acusado de roubar a moto para que ela fosse usada no crime. Foi preso no dia 16 de setembro de 2017 e condenado a 10 anos e 5 meses de reclusão por feminicídio.

O advogado de defesa de Hilário e Esperidião Frasson, Leonardo Gagno, não informou se recorrerá das sentenças. “Já sabíamos que era um caso difícil, um caso complicado e viemos preparados para todas as circunstâncias. Não é um resultado que deixa a gente surpreso, apesar de confiar no nosso trabalho”.

Os advogados de defesa de Valcir da Silva, Alexandre Lyra Trancoso e Ilsa Ribeti, consideraram a pena aplicada desproporcional em relação à condenação aplicada para o executor do crime. “A gente acredita na inocência dele e vamos recorrer”, informou Alexandre.

Os advogados dos demais condenados não foram localizados.

Seis réu do caso Milena Gottardi

Seis réu do caso Milena Gottardi

Juiz cita Alice no País das Maravilhas em sentença que condenou seis réus pela morte de médica Milena Gottardi — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Juiz cita Alice no País das Maravilhas em sentença que condenou seis réus pela morte de médica Milena Gottardi — Foto: Reprodução/ TV Gazeta