“Jovem precisa do primeiro emprego e idoso de um espaço que lhe dê dignidade”, diz o vereador eleito, Damião Bonomette

Eleito com 1.052 votos, formado em Administração, ex-seminarista da Diocese de São Mateus, Damião Bonomette, 35 anos, assume uma das 13 vagas do legislativo veneciano no próximo 01 de Janeiro.

Segundo vereador mais votado deste pleito, Damião já havia disputado nas eleições de 2016, e sido eleito nas urnas. Porém, o Tribunal Regional Eleitoral validou os votos de um candidato que até as eleições estava inelegível, e Bonomette, devido a legenda, ficou de fora da Câmara.

Com um de seus slogans “Dessa vez é para ficar”, o veneciano, que mora no bairro Aeroporto, teve grande participação de idosos e agricultores entre seus eleitores.

Ex-coordenador do Centro de Convivência do Idoso Moacyr Sélia Filho, Damião é filho dos agricultores Dario Bonomette e Geruza Bom Bonomette, moradores da comunidade do Córrego do Ouro.

Renovação
“A renovação na política faz bem para a democracia. Sou a favor de novos nomes e de mudanças. Com o que aconteceu em 2016, não desisti, ao contrário, me envolvi ainda mais na política veneciana”.

História
“As eleições de 2020 ficarão na história do nosso município. Apenas dois, dos 13 vereadores foram reeleitos. Dos 11 vereadores, quatro tem idade inferior a 40 anos. O próprio prefeito eleito tem 36 anos, ou seja, a geração dos anos 80 aterrissou na política veneciana. Me sinto preparado para legislar, fiscalizar e ser uma voz firme na Câmara Municipal”.

Campanha
“Minha campanha foi feita principalmente pelos amigos. Durante esses anos busquei fortalecer a base de apoio. Fizemos uma campanha com voluntários. Novamente, o objetivo era fazer uma campanha sem uso de Fundo Eleitoral Partidário e com custo reduzido”.

Eleitores
“Tive votos de todas as faixas etárias. Fiz campanha do interior à cidade. Muitos me conhecem de comunidade. Sou católico atuante em diversos trabalhos e pastorais em nossa cidade. Mas nessa campanha tive um apoio expressivo da terceira idade. Muitos políticos não olham para os idosos como pessoas ativas na sociedade. Além do carinho e também do trabalho que tenho desenvolvido com essa classe, falo que os idosos necessitam cada vez mais, de políticas públicas. Sendo assim, é importantíssimo que eles participem das escolhas dos representantes políticos. Levantei uma campanha dizendo: “Idoso vota sim”. Eles abraçaram a minha campanha, e acredito que essa expressão de votos veio devido ao apoio deles. Muitos agricultores também abraçaram minha campanha. Teve uma região que obtive mais 73% dos votos”.

Bandeira
“A minha bandeira é fazer política para o bem comum. Todos merecem usufruir de uma boa política. Por isso, existe a necessidade de políticos com uma visão holística do município”.

Jovem e idoso
“O jovem precisa do primeiro emprego, e o idoso precisa de um espaço que lhe dê dignidade, principalmente nos atendimentos”.

Mandato e a população
“Vou fazer um mandato participativo. Precisamos fortalecer a voz do povo na Câmara Municipal. A primeira ação que vou fazer é sentar com associações, organizações e comunidades. É fundamental ouvir as demandas, junto com o povo, escolher as mais urgentes e juntos lutarmos. Quando vamos organizar uma campanha, é assim que planejamos. Então, é assim que devemos fazer o mandato, com a participação do povo”.

União
“Aposto em um novo jeito de fazer política. Um discurso diferente e sempre buscando unir o legislativo com o executivo. Somos um grupo escolhido pelo povo, para fazer o melhor. O que depender do Damião, faremos um belíssimo mandato”.

Agradecimentos
“Agradeço a Deus a oportunidade de poder disputar uma eleição, a minha família que ajudou muito. Também aos meus amigos apoiadores que trabalharam e foram às ruas pedir voto. Aos 1052 venecianos que depositaram em mim, um voto de confiança. Muito obrigado!”.

Fonte: Cintia Zaché / redenoticiaes

Leia mais

Leia também