Israel ameaça Irã e lembra que seus aviões podem “alcançar qualquer lugar no Oriente Médio”


Sputnik – “Um mau acordo lançará a região em uma espiral de guerra”, afirmou Eli Cohen, ministro de Inteligência de Israel, referindo-se ao Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês). A afirmação veio seguida de uma advertência: “quem quer que esteja buscando benefícios a curto prazo deve estar consciente a longo prazo”.

O ministro vez também uma ameaça: “Israel não permitirá que o Irã obtenha armas nucleares. O Irã não tem imunidade em lugar algum. Nossos aviões podem chegar a qualquer lugar do Oriente Médio – e certamente ao Irã”, afirmou o ministro israelense.

Cohen sugeriu ainda que, além de impedir o Irã de expandir sua capacidade de enriquecimento de urânio e desenvolvimento de mísseis, os EUA e outras potências deveriam forçá-lo a parar de “desestabilizar outros países” e financiar grupos militantes.

Os comentários de Cohen surgem após informações segundo as quais os negociadores dos EUA estariam preparados para fazer concessões no impasse diplomático com Teerã, considerando uma “redução quase total” das sanções impostas durante a anterior administração de Trump, que se retirou do pacto nuclear JCPOA.

A mudança de atitude na política americana surge após meses de exigências dos EUA para que o Irã reduza significativamente suas atividades de enriquecimento nuclear antes de Washington cancelar as sanções.

Teerã, por sua vez, defende que os EUA devem ser os primeiros a cancelar as sanções para que a República Islâmica concorde em voltar a observar seus compromissos no âmbito do acordo.

Autoridades norte-americanas e israelenses se reuniram recentemente na embaixada de Israel em Washington DC, tendo chegado a acordo de criar uma frente unida a fim de conter o avanço militar do Irã.

(Foto: Divulgação)

Leia mais

Leia também