Irã diz que retorno dos EUA ao acordo nuclear não precisa de novas negociações


O Irã anunciou neste sábado (20), que está considerando a proposta da União Europeia de realizar uma reunião informal entre os membros do acordo nuclear com o objetivo de relançar o pacto de 2015.

O vice-ministro das Relações Exteriores do Irã, Abbas Araqchi, disse: “Estamos considerando a oferta de Borrell e estamos em consulta com nossos outros amigos e parceiros como a China e a Rússia”, acrescentou.

A possível reunião não oficial dos países membros do acordo nuclear foi proposta pelo chefe da Política Externa da UE, Josep Borrell, com o objetivo de traçar o futuro roteiro do pacto.

Os Estados Unidos, que abandonaram o acordo nuclear em 2018, também serão convidados a participar da reunião informal como convidados, disse Araqchi.

No entanto, o Irã indicou que seu governo acredita que o retorno dos Estados Unidos ao pacto e a implementação de seus compromissos, incluindo a retirada de sanções, não carecem de negociação.

“Podem ser necessárias certas conversas técnicas e arranjos operacionais, que podem ser organizados pelo aparelho de Borrell, mas basicamente não há necessidade de conversas”, acrescentou Araqchi.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou na sexta-feira (19), que seu governo estava preparado para abrir negociações com membros do acordo nuclear.

Na visita ao país do diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), Rafael Grossi, a Teerã, o diplomata iraniano garantiu que isso não afetará a decisão do Irã de interromper a implementação do Protocolo Adicional ao Tratado de Não Proliferação Nuclear.

O chefe da AIEA disse em um comunicado que o objetivo da visita era encontrar uma solução para que a agência continue a realizar seu trabalho de verificação no âmbito do acordo nuclear com o Irã de 2015 entre Teerã e potências mundiais.

Informações da Telesul.

Instalação nuclear iraniana

Instalação nuclear iraniana (Foto: Telesul)

Leia mais

Leia também