Ipea afirma que crise econômica faz classe mais baixa empobrecer

A renda média brasileira cresceu quase 7% entre 2012 e 2014, caiu mais de 3% em 2015, diminuiu 1% em 2017 e aumentou 4% em 2018 de acordo com um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Apesar de toda oscilação, com momentos de recuperação, o levantamento revelou que em todo momento a população mais pobre do Brasil teve redução do rendimento, ou seja, enquanto a renda per capita dos 5% mais ricos subiu quase 9% no período 2015-2018, os 50% mais pobres da população viram sua renda média encolher 4%. 

Segundo Rogério Barbosa, professor do Instituto de Estudos Sociais e Políticos (IESP) da UERJ e co-autor da pesquisa do Ipea, uma das justificativas para este alargamento das diferenças sociais é que os momentos de recuperação econômica começam sempre da classe mais alta para a mais baixa, e se interrompidos por novos períodos de recessão, como foi o caso, esse alívio na renda média nunca chega de fato aos mais pobres.

Governo descarta Auxílio Emergencial em 2021 e aposta em investimento de R$5,73 bilhões no Bolsa Família

Alimentos representaram 60% na inflação dos mais pobres em outubro, segundo Ipea

Reforma Tributária pode diminuir desigualdade social e impulsionar setor produtivo na Bahia

O pesquisador afirma que a nova crise econômica causada pela pandemia só serviu para atenuar esse distanciamento de classes.  Segundo Rogério, de início, entre março e abril vários setores sociais foram atingidos ao mesmo tempo, mas logo a partir de maio formas diferentes de recuperação já estavam disponíveis para populações mais ricas. 

“Por exemplo, o teletrabalho é uma possibilidade de emprego que não está disponível para todos os tipos de trabalhadores. A impossibilidade de manter o vínculo, principalmente dos profissionais menos qualificados ou trabalhadores manuais levou a um desemprego concentrado entre os mais pobres. Ainda que tenha havido um esboço de recuperação da atividade econômica principalmente em função do afrouxamento do distanciamento social, isso não significa que todo mundo está se recuperando igualmente”.

De acordo com o economista Cosmo Donato, da LCA Consultores as expectativas não são as melhores para os próximos anos. Segundo o especialista a retirada de programas sociais como o Auxílio Emergencial desaceleram ainda mais a recuperação econômica da população mais pobre. 

“O maior impacto da pandemia sobre as famílias mais desfavorecidas ainda não será esse ano e sim ano que vem. Mesmo que já tenha uma percepção muito ruim de 2020, infelizmente 2021 deverá ser pior. Em 2022 em diante, talvez a capacidade de crescimento da economia brasileira não seja maior que 2% e essa agenda de crescimento é muito importante para promover a distribuição de renda. Não podendo contar com esse crescimento e com o governo investindo e promovendo programas sociais, isso deve ser insuficiente para amenizar esse grande problema pelos próximos anos. 

O último levantamento da Síntese de Indicadores Sociais (SIS) do IBGE, com dados de 2018/2019 havia apontado uma diminuição de 0,6% na pobreza brasileira. Essas eram as pessoas que viviam com até R$ 30,25 por dia, no ano passado. Ainda assim, sem os dados de 2020, não é mais possível afirmar que essa estatística se mantenha atualmente após a paralisação econômica. 

Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Leia mais

Publicadas regras de flexibilização do programa A Voz do Brasil

Apenas as rádios educativas devem manter o início da transmissão às 19h. A portaria que estabelece as condições, critérios e procedimentos para a flexibilização e...

“Serei o prefeito de todos”, garante André Fagundes

“O André do Hospital São Marcos e da Secretaria de Saúde vai ser o mesmo André Prefeito, com humildade e trabalhando para quem mais...

Abraão Lincon, do PSD, é eleito prefeito de Água Doce do Norte

Abraão Lincon, do PSD, foi eleito, neste domingo (15), prefeito de Água Doce do Norte (ES) para os próximos quatro anos. Ao fim da...

Novo trecho duplicado e dois viadutos da BR-101 são liberados para tráfego no Espírito Santo

Nove quilômetros de duplicação da BR-101 no Espírito Santo, incluindo dois novos viadutos, são liberados para tráfego nesta terça-feira (15). Segundo a concessionária Eco101, as...

Leia também

Marco legal do mercado de câmbio pode ajudar na entrada do Brasil na OCDE

O projeto que visa permitir, entre outras coisas, a abertura de contas em dólar no país, pode auxiliar o Brasil a ingressar na OCDE,...

SESI GOLAB: indústria adota nova metodologia para ampliar saúde e segurança no trabalho

Com o intuito de diminuir os índices de ausência dos funcionários no trabalho, por falta ou atraso, a equipe de Saúde e Segurança do...

Conheça os novos prefeitos das capitais dos estados do Norte

Na região norte do país, o segundo turno das eleições ocorreu de forma tranquila. Pará Edmilson Rodrigues (PSOL) foi eleito prefeito de Belém após o segundo...

José Sarto é eleito prefeito de Fortaleza

José Sarto Nogueira (PDT) será o novo prefeito de Fortaleza pelos próximos quatro anos. Neste domingo (29), ele venceu a disputa para o cargo...