Internos do sistema prisional são premiados no I Concurso Literário Sérgio Blank

Internos que cursam a 3ª Etapa do Ensino Médio da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no sistema prisional capixaba, participaram, nesta quarta-feira (22), da solenidade de premiação do I Concurso Literário Sérgio Blank, promovido pela Academia Espírito-santense de Letras (AEL), com a parceria das Secretarias da Justiça (Sejus) e da Educação (Sedu).

Cerca de 99 alunos internos participaram do concurso que contou com três ganhadores. Para participar, foi preciso redigir textos inéditos, de tema livre, no gênero poesia ou crônica. Os trabalhos apresentados foram avaliados por uma comissão julgadora composta por três acadêmicos indicados pela Academia Espírito-santense de Letras e por examinadores convidados pela AEL, que seguiram critérios como originalidade temática, criatividade e adequação ao tema. Os internos receberam o acompanhamento pedagógico de professores que atuam nas unidades prisionais.

O primeiro lugar no concurso foi obtido pela interna Rayanne Romualdo de Mattos, do Centro Prisional Feminino de Cariacica (CPFC), com o texto “Barquinho Branco”. Já o segundo lugar ficou para Leandro Ribeiro de Souza, da Penitenciária de Segurança Média de Colatina (PSMECOL), com a obra “Diário de um detento”. O interno Elomar Santos Júnior, do Centro de Detenção e Ressocialização de Linhares (CDRL) alcançou o terceiro lugar com o texto “Matéria da Vida”.

Entre as premiações, o primeiro lugar recebeu um tablet, e os três primeiros colocados Certificados da AEL, além de terem seus textos publicados no site da Academia Espírito-santense de Letras. Revistas e livros foram entregues ao sistema prisional para compor as bibliotecas das unidades prisionais premiadas no concurso, além de troféus.

Para a presidente da AEL, Ester Abreu Vieira de Oliveira, o I Concurso Literário Sérgio Blank tem o objetivo de estimular a leitura das pessoas privadas de liberdade, além de promover uma justa homenagem ao poeta Sérgio Blank.

“Este é o primeiro concurso literário para apenados e apenadas realizado pela Academia, que levou o nome de Sergio Blank: um poeta e escritor de grande sensibilidade, que produziu um conjunto de obras importantes, entre eles, livros infantis, como ‘Safira’. Blank foi brutalmente assassinado e, como forma de homenageá-lo, criamos o concurso que leva o seu nome.  A iniciativa é uma maneira de estimular o valor da leitura no sistema prisional, que é o objetivo da AEL”.

Para a subgerente de Educação nas Prisões, Silvia Garcia, um dos objetivos da educação em prisões é despertar na pessoa em privação de liberdade a percepção de que existe a possibilidade de mudança, a redefinição de caminhos e a construção de sonhos. “O concurso de redação da Academia Espírito-santense de Letras, além de valorizar a educação ofertada nas unidades prisionais reconhece e potencializa o talento dos alunos e alunas privadas de liberdade, pois demonstra que eles são capazes de produção literárias dignas de admiração”, destaca.

A gerente da Educação de Jovens e Adultos da Sedu, Mariane Berger, destacou que “a leitura tem sido potencializada pelas Escolas Referência e Exclusivas e Unidades Prisionais como uma prática que, além de despertar a formação do bom leitor, favorece à produção textual. Os estudantes privados de liberdade nos relatam que “ler é uma prática que os transportam para outros mundos possíveis dentro da prisão’ e isso nos enche de alegria. Agradecemos a Academia Espírito-santense de Letras por mais essa parceria sempre na expectativa de ampliar projetos como este”, enfatiza Mariane Berger.

Primeiro lugar no concurso, a interna Rayanne Romualdo de Mattos, custodiada no Centro Prisional Feminino de Cariacica, fez um poema alusivo à paz e a liberdade, chamado Barquinho branco. “Eu gosto muito de escrever: adoro fazer textos, poemas. Sou tímida e gosto de ficar no meu cantinho, lendo e escrevendo. Agradeço muito o apoio e a dedicação da minha professora, que também acredita no meu potencial”, disse Rayanne emocionada.

 

Confira as obras ganhadoras do Concurso:

1º lugar – Rayanne Romualdo de Mattos – (CENTRO PRISIONAL FEMININO DE CARIACICA – CPFC) – Professora Elizete Bárbara da Silva Sena Pera.


Barquinho branco

Um barquinho branco
Navegando sobre o mar
Fico aqui olhando
Seu belo deslizar

Meu barquinho branco
Como é bom te olhar!
Tenho certo medo
De um dia afundar

Ô, meu barquinho!
Em que posso lhe ajudar
Aqui tem os restos das folhas
Que usei pra lhe criar

Navegou no mar profundo
Barquinho aventureiro
Partiu sem despedida
O barquinho bagunceiro!

Da janela fico observando
Quão grande é o mar
Ô, meu lindo barquinho!
Será que um dia vais voltar?

 

2º lugar – Leandro Ribeiro de Souza – (Unidade Penitenciária – PSMECOL) – Professora Angela Maria Alves.

Diário de um detento

Aqui dentro todos os dias que se passam temos uma esperança para nossos sentimentos. Não sabemos como vai ser o dia de amanhã, mas temos certeza que nossos sonhos não podem ser frustrados, acreditamos que podemos vencer obstáculos de nossas vidas.

Pensando que esse momento que aqui estamos não está sendo perdido, mesmo privado de nossa liberdade estamos adquirindo conhecimentos e sabedoria para nós que não temos expectativa da vida, agora com a oportunidade de estudar estamos mais confiantes com o nosso futuro.

Pelo fato de estar nessa situação não podemos deixar de acreditar em nossas capacidades de mudanças, com esse aprendizado nossa mentalidade de pessoas adultas pode ser verdadeiramente colocada em prática para o nosso crescimento de vida e quem sabe profissional principalmente.

Assim uma pessoa entrou aqui com um pensamento de vingança, agora está saindo com um sentimento de esperança e perdão, um pensamento voltado para o bem com muitos planos e projetos de vida.

 

3º lugar – Elomar Santos Júnior – (Centro de Detenção e Ressocialização de Linhares) – Professora Diane Elias R. e Silva.

Matéria da vida

Amor sentimento perfeito:
tudo suporta, tudo espera,
tudo crê,
O amor não se acaba.

Amar, saber lidar:
Com as dificuldades,
Com palavras duras,
amar sentimento que
todos deveriam ter, pois cura.

O amor enriquece
Floresce qualquer terra estéril,
Um manancial de águas vivas.

Sentimento que contagia
Que corta toda raiz de males,
Não se entristece,
Amar, amar principal matéria
Da faculdade da vida.