Intercâmbio de dados e tecnologias reforça combate a violações de direitos humanos no trabalho

Intercâmbio de dados e tecnologias reforça combate a violações de direitos humanos no trabalho

O foco das ações estará no trabalho escravo e infantil, no tráfico de pessoas e demais ilegalidades. Foto: Banco de imagens

Foi firmada uma parceria entre o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e o Ministério Público do Trabalho para reforçar o combate a violações de direitos humanos relacionados a exploração do trabalho.

O acordo prevê a troca de informações, dados e tecnologias referentes à ilegalidade relacionadas ao trabalho humano. O foco das ações estará no trabalho escravo e infantil, no tráfico de pessoas, em fraudes trabalhistas, na exploração sexual comercial de crianças e adolescentes e na violação ao meio ambiente do trabalho.

O documento foi assinado na terça-feira (13) pela ministra Damares Alves e o procurador-geral do Trabalho, Alberto Bastos Balazeiro.

“Essa parceria com o Ministério Público do Trabalho representa para gente um sonho”, disse a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

Ao destacar as novas relações trabalhistas, em função do distanciamento social, Damares Alves disse que o Brasil tem que fazer uma revisão das políticas públicas na área social e do direito.

“Eu tenho convocado os ministros a pensar isso comigo, não um novo normal, mas uma reconstrução. E, nesta reconstrução, vocês vão estar muito envolvidos, porque vai alcançar diretamente o trabalhador”, acrescentou a ministra ao defender a importância da parceria com o Ministério Público do Trabalho.

“Vocês serão de uma importância muito grande nesta ação, para a gente não se perder nesta reconstrução. Então, nos ajudem a fazer esta reconstrução”, acrescentou Damares.

Como será o trabalho

As ações serão feitas em parceria entre a Secretaria de Pesquisa e Análise de Informações do Ministério Público do Trabalho e a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos, que faz parte do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos.

O Ministério Público do Trabalho fará toda a atividade de identificação, processamento, depuração, atualização, gestão, análise e guarda de bancos de dados estratégicos de instituições públicas e privadas, incluindo os protegidos por sigilo.

A Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos ficará encarregada de disponibilizar o conteúdo integral do banco de dados dos canais de atendimento de denúncias de direitos humanos.

Após a análise do material pelo Ministério Público do Trabalho, serão abertas discussões com o objetivo de buscar soluções sobre as violações de direitos humanos no trabalho.

“Acho que esse acordo vai trazer muita coisa importante pra gente. Esse casamento de informações é fundamental para as instituições prosseguirem. E, toda vez que instituições se unem, o benefício é para o país”, disse Alberto Bastos, procurador-geral do Trabalho.

Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos

Por meio do Disque 100 e do Ligue 180, a Ouvidoria recebe, examina e encaminha denúncias e reclamações sobre violações de direitos humanos.

O Disque 100 e o Ligue 180 são gratuitos, funcionam 24 horas por dia, e recebem, em média, mais de 11 mil ligações diárias.

Além do número telefônico, agora, os canais funcionam pelo aplicativo Direitos Humanos Brasil e pela página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos. No site, está disponível o atendimento por chat e com acessibilidade para a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Está disponível ainda o atendimento pelo Telegram.

Leia mais

Governador anuncia diferimento do ICMS nas importações de milho para produtores capixabas

O Governo do Estado anunciou, nesta quarta-feira (03), a concessão do diferimento do ICMS nas importações...

Homem é atingido por bala perdida no quintal de casa em São Gabriel da Palha

Foto ilustrativa Um homem foi vítima de bala perdida...

Mentalize: programa lança ação voltada ao cuidado da saúde mental

Estratégia do Governo Federal nasce em um momento de distanciamento social Foto: Agência Brasil O Ministério da Saúde lançou, nesta segunda-feira (24), um programa voltado...

Coronavírus Barra de São Francisco tem 79 casos confirmados

A Secretaria municipal Saúde de Barra de São Francisco, divulgou nesta segunda feira, 25/05/2020, o Boletim Informativo diário sobre quantidade de casos confirmados do...

Leia também

MP em discussão no Congresso Nacional pode aumentar volume de crédito oferecido a empresários paranaenses

A obtenção de crédito por empreendedores brasileiros tem se tornado um entrave durante a crise financeira ocasionada pela pandemia. No Paraná, segundo pesquisa do...

Leilão do saneamento básico em Alagoas deve aumentar percentual da população que recebe atendimento de coleta de esgoto

O serviço de saneamento básico deve ter um novo cenário na região metropolitana de Maceió nos próximos anos. Atualmente, segundo dados do Sistema Nacional...

AMAPÁ: SESI e SENAI iniciam projeto para adequação à Lei Geral de Proteção de Dados

Em vigor desde setembro de 2020, a chamada Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) pretende garantir mais privacidade, segurança e transparência no uso...

Saneamento básico: gestão comunitária da água é a esperança para 17 milhões de moradores da área rural

Segundo o estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), nos próximos anos, 17 milhões de pessoas que moram em áreas rurais terão saneamento...