Instituto SENAI de Tecnologia em Química é credenciado para analisar qualidade da cachaça produzida em MG

O Instituto SENAI de Tecnologia em Química (IST Química), que faz parte do Centro de Inovação e Tecnologia – CIT SENAI, da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG), foi credenciado para realizar ensaios em amostras oriundas dos programas e controles oficiais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Com isso, o laboratório será responsável por realizar análises físico químicas em cachaças e aguardentes, por método oficial, para atender as demandas dos controles oficiais da Pasta. Segundo a pesquisadora do Instituto de Tecnologia em Alimentos e Bebidas do CIT SENAI FIEMG, Morgana Zimmermann, a medida garantirá que os produtos sejam confeccionados com maior segurança e qualidade.

“O Centro de Inovação e Tecnologia do SENAI-MG busca pela melhoria contínua dos serviços prestados, sempre com foco de elevar a competitividade da indústria mineira. Podendo, além de monitorar através das análises, a qualidade das cachaças produzidas, realizar as análises das cachaças exportadas para diversos outros países. Pois, essas cachaças necessitam ser analisadas em laboratórios credenciados junto ao Ministério da Agricultura”, pontua.

MEIs e pequenas empresas terão mais facilidade para participar de licitações do governo federal

“Aprovação do Marco Legal das Startups é uma conquista histórica para o Brasil”, diz a deputada Luísa Canziani

MP sob análise do Senado reduz impactos tarifários com aporte de recursos na CDE

Na avaliação de Mário Marques, presidente da Câmara da Indústria de Alimentos da FIEMG e do Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral do Estado de Minas Gerais (Sindbebidas), a relevância do credenciamento repercute em toda a cadeia produtiva do setor.

“Agora temos a facilidade de fazer as análises em nosso estado e conseguir diferenciar as boas cachaças das clandestinas. Vamos conseguir melhorar, cada vez mais, as nossas cachaças”, destaca.

Qualidade da cerveja

Em 2020, o Instituto SENAI de Tecnologia em Química, passou a estar apto a também realizar a quantificação dos teores de possíveis contaminações em amostras de cervejas. Com isso, as indústrias interessadas podem procurar o CIT SENAI FIEMG para enviarem as amostras das bebidas.

De acordo com a instituição, a determinação dos teores de substâncias tóxicas em amostras de cervejas é feita por uma técnica analítica conhecida como Cromatografia Gasosa, utilizada para quantificação de substâncias orgânicas.
 

Foto: Arquivo/EBC

Leia mais

Leia também