“Instituições de ensino estão preparadas para receber alunos presencialmente”, garante diretor da ABMES

Desde quando alguns estados brasileiros começaram a registrar uma certa estabilização no número de casos da Covid-19, a população, autoridades e pessoas ligadas à área da Educação começaram a questionar sobre o retorno das aulas presenciais no país.

Em entrevista exclusiva ao portal brasil61.com, o diretor-executivo da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), Sólon Caldas, afirmou que isso não deve ocorrer imediatamente, mas garantiu que as instituições de ensino já estão preparadas para esse regresso.

“As instituições de ensino estão preparadas e estão obedecendo a protocolos de segurança determinados pela OMS, pelo Ministério da Saúde e governos locais, para que essa volta ocorra dentro da maior segurança possível. É certo que será uma volta gradativa, porque temos grupos de risco. Essas pessoas vão continuar assistindo aula de casa, tendo acesso à aula virtual”, explicou.

Em relação ao ensino à distância, Caldas disse que o número de alunos matriculados nesta modalidade tem aumentado significativamente nos últimos anos, não apenas por causa da pandemia. Sobre esta questão, ele acredita que houve um aumento de custo para as instituições de ensino, tendo em vista às adequações que precisaram ser feitas.

“Esse custo aumentou substancialmente porque, para oferecer as aulas remotas, as instituições tiveram que investir muito em tecnologia, em software, em internet, para que essas aulas pudessem chegar até os alunos. Então, as instituições de ensino se adaptaram rapidamente a esse novo contexto, a educação no nosso país não parou e os alunos estão tendo segmento no seu ano letivo para que não seja comprometida a sua formação”, considerou.

Durante a entrevista, o diretor executivo da ABMES também falou sobre o papel da educação à distância para pessoas que vivem em pequenos municípios, onde o acesso é difícil. Nesse contexto, ele entende que a modalidade é uma porta de acesso para quem tem essas dificuldades, mas busca se qualificar.

“Entre 2015 e 2017, o número de matrículas no ensino presencial diminuiu enquanto no EAD aumentou. Essa modalidade tem crescido e proporciona uma oportunidade para que os alunos de municípios menores, onde não tem oferta do presencial, possam ter acesso à educação superior. Quem ganha com isso é o país, que vai ter cada vez mais mão de obra qualificada no mercado de trabalho e, consequentemente, o desenvolvimento do Brasil”, pontua.

Mudanças no ensino médio são previstas pelo Inep

Mais de 100 deputados federais assinam manifesto contra corte de R$ 1,8 bi no orçamento do MEC para 2021

Cerca de 2,6 milhões de estudantes da rede pública nas regiões remotas do país já têm acesso a internet banda larga

Para a pós-pandemia, Sólon Caldas acredita que haverá uma evolução do ensino híbrido, na qual uma parte das disciplinas será disponibilizada remotamente, enquanto outra será executada no próprio ambiente escolar. Isso, segundo ele, vai permitir aos alunos terem uma melhor adequação e usar o tempo de forma mais eficiente.

“As disciplinas teóricas, certamente terão essa destinação, enquanto as que precisam da presença em sala de aula, terão que contar com o deslocamento do aluno até o ambiente escolar. Isso ainda não está muito bem definido, até porque a regulação não prevê esse modelo híbrido. As autoridades vão precisar rever toda essa regulamentação, para atualizar o ensino para a pós-pandemia”, avaliou.

Há cerca de uma semana, o Ministério da Educação informou que estuda uma forma de avaliar os efeitos da pandemia na a aprendizagem dos alunos no Brasil. Segundo destacou o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Alexandre Lopes, o órgão procura uma “possibilidade de fazer avaliações amostrais”, mas, que, por enquanto, seriam para estudos internos e não avaliações em larga escala.

 

Foto: Divulgação

Leia mais

Profissionais da Saúde embarcam para missão em comunidades indígenas na Região Norte

Destino é o município de Atalaia do Norte, no Amazonas, que abrange grande parte da região do Vale...

Governo mantém cronograma de leilões na infraestrutura

Primeiro leilão deve acontecer dia 28 de agosto. – Foto: Marcelo Camargo/Agência...

Eleições 2020: planos de governo dos candidatos a prefeito de Vitória

Veja o resumo dos principais pontos das propostas de governo dos candidatos a prefeito de Vitória nas eleições de 2020. Veja abaixo (os nomes...

Confira algumas dicas da Caixa para evitar golpes e fraudes

Fique atento e evite acessar links recebidos por mensagens no celular e redes sociais. –...

Leia também

Inmet emite alerta vermelho de chuva forte e ventos de até 100 km/h para o Norte e Noroeste do ES

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu neste domingo (25) um novo alerta vermelho de chuvas intensas para parte do Espírito Santo. O aviso meteorológico...

Confusão! Jovens marcam briga em shopping de Vila Velha e assustam frequentadores

Um grupo de jovens se envolveu em uma...

Centro-Oeste terá chuva em boa parte da região, nesta segunda (26)

No Centro-Oeste, a partir desta segunda-feira (26) a chuva ganha ainda mais força no sul de Mato Grosso do Sul, por influência das instabilidades...

O TEMPO E A TEMPERATURA: Sudeste do país tem previsão de tempo com chuva, nesta segunda-feira (26)

Previsão de tempo com chuva na região Sudeste do país, nesta segunda-feira (26). Atenção para um ciclone subtropical que deve se intensificar nos próximos...