Inflação em junho foi de 0,26%, aponta o IBGE

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foi de 0,26% em junho, apontam os dados que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta sexta-feira (10). O indicador que mede a inflação oficial no país teve alta após dois meses de deflação: – 0,31% em abril e – 0,38% em maio. 

O resultado ficou próximo às expectativas dos economistas, que estimavam uma inflação de 0,3%. Agora, o IPCA acumula alta de 0,1% no ano e 2,13% em 12 meses. Entre os nove grupos de produtos e serviços pesquisados, o de alimentação e bebidas foi o que mais impactou a inflação, pois teve aumento de 0,38%. Em maio, foi de 0,24%. O setor de transportes, impulsionado pela alta no valor da gasolina (3,24%) foi o segundo que mais influenciou o IPCA. 

Segundo André Braz, economista da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre), o resultado da inflação em junho foi bem próximo à expectativa do mercado, que era de 0,3%. “Não houve um resultado muito longe da previsão. Esse número frente ao que o mercado esperava veio muito bem ajustado. Esse IPCA veio em linha com a expectativa de aumento no preço da gasolina, dos medicamentos, de várias pressões que ajudaram a alavancar a inflação em junho, explica”. 

Inflação por grupos

Sete dos nove grupos pesquisados registraram aumento nos preços em junho, de acordo com o IBGE. Além de alimentação e bebidas, transportes, habitação, artigos de residência, saúde e cuidados pessoais, educação e comunicação registraram aumento. Os dois que tiveram queda nos preços foram vestuário (-0,46%) e despesas pessoais (-0,05%). Em maio, apenas quatro dos nove grupos tinha registrado alta. 
Para André Braz, ainda não é possível falar em recuperação da economia. “O IPCA em junho não impressionou. Depois de dois meses foi a primeira taxa positiva, mas isso não significa um aquecimento da demanda ou início de recuperação da atividade econômica”, avalia. 

Impactos individuais

O preço mais caro das carnes (1,19%) e do leite longa vida (2,33%) foi o que mais influenciou a alta no indicador de alimentação e bebidas. Além disso, outros itens importantes na mesa dos brasileiros, como o arroz (2,74%), o feijão carioca (4,96%) e o queijo (2,48%) subiram de preço. Itens como o tomate e a cenoura ficaram mais baratos: queda de 15,04% e 8,88% respectivamente. A alimentação fora do domicílio também acelerou em 0,22%, especialmente por causa do lanche (1,01%). 

No grupo dos transportes, a alta nos combustíveis já destacada foi contida pela diminuição na compra de passagens aéreas (-26,01%) e da variação negativa do item transporte por aplicativo, que recuou 13,95%. 

Os artigos de residência tiveram 1,3% de alta em junho, puxados sobretudo pelos eletrodomésticos e equipamentos, além dos artigos de TV, som e informática. Segundo Braz, isso é resultado da desvalorização do real frente ao dólar e não de maior demanda por esses produtos

“Os componentes que montam esses produtos são importados e a gente paga por eles em dólar. Então, fica mais caro montar celular e computador aqui no Brasil e o preço acaba subindo, mas não por um efeito da demanda e sim pelo custo de produção dos equipamentos”, explica. 

Municípios

Dos 16 grandes centros pesquisados, quatro municípios apresentaram deflação em junho. São Luís (- 0,35%), Belém (- 0,18%), Rio de Janeiro e Porto Alegre (-0,01). Na capital do Maranhão, a queda se deu, sobretudo, pelo menor preço dos perfumes e do tomate. No Rio de Janeiro, apesar da alta na tarifa do metrô, o preço gás encanado recuou. 

Por outro lado, Curitiba foi a cidade que teve a maior alta nos preços. Foi de 0,8% em junho, principalmente devido à gasolina e ao etanol mais caros: 7,01% e 10,35%. Salvador, Vitória, Recife, Brasília, Fortaleza, São Paulo, Campo Grande, Rio Branco, Goiânia, Belo Horizonte e Aracaju também tiveram inflação, de acordo com o IBGE. 

Agência Brasil

Leia mais

Ministério da Saúde distribui mais de 208 milhões de EPIs para estados

Os EPIs são usados por profissionais de saúde que prestam assistência ao paciente com Covid-19 Foto: Banco de Imagens Para garantir a proteção dos profissionais...

Embarcações são abordadas em fiscalização em Vitória

Operação aconteceu neste sábado (8) e se concentrou na região da Ilha do Príncipe. Foram usadas duas embarcações e uma moto aquática nas abordagens. Embarcações...

Espírito Santo chega a 2.907 mortes e 100.859 casos confirmados de Covid-19

Na comparação com os dados divulgados neste domingo (16), o aumento é de 33 mortes e 1.279 novos casos da doença. O Espírito Santo registrou,...

Trecho da BR-202 no Espírito Santo será interditado para obras em encosta

Interdição começa na próxima segunda-feira (13) no trecho entre a Reta de Viana e o Posto do Café, em Marechal Floriano.

Leia também

Zimbábue: marido perde esposa após “emprestá-la” para o cunhado

Novo casal Um homem que estava passando por dificuldades financeiras, decidiu “emprestar” a esposa ao cunhado em troca de comida, bebida e dinheiro para pagar as taxas...

14 partidos têm candidatos a vereador em Nova Venécia

O Cartório Eleitoral, de Nova Venécia, acaba de divulgar a relação da quantidade de solicitação de registro de candidaturas, por Partido, para a disputa...

O TEMPO E A TEMPERATURA: Domingo (27) tem previsão de chuva na região Norte do país

Neste domingo (27), o tempo segue com chuva em grande parte da região Norte do país, com chance de fortes temporais. Tempo firme fica...

Nordeste segue com chuvas restritas à costa leste da região, neste domingo (27)

No Nordeste brasileiro, a previsão do tempo para este domingo (27) é de chuva na costa leste da região, entre Natal (RN) e o...