Indígenas e quilombolas recebem cestas de alimentos em comunidades de todo o País

Indígenas e quilombolas recebem cestas de alimentos em todo o País

Distribuição de cestas básicas a famílias indígenas na Paraíba.
– Foto:
Funai

Indígenas e quilombolas de Pernambuco começaram a receber mais 31 mil cestas de alimentos doadas pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). O objetivo é reduzir os impactos do novo coronavírus nas populações em situação de vulnerabilidade social.

A ação é uma parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a Fundação Nacional do Índio (Funai), a Fundação Cultural Palmares (FCP) e a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). A iniciativa faz parte do Plano de Contingência do Governo Federal. A previsão é destinar R$ 4,7 bilhões até o final junho de 2020.

Em Pernambuco, indígenas das comunidades Kambiwá, Pipipã, Tuxá de Inajá, Pankara de Itacuruba, Kapinawá, Aldeia Santana, Pankará, Aldeia Cimbres, Aldeia Tuxá Campos, Fulni-o, Atikum, Truká, Pankararu e Pankaiwká receberão, no total, 30 mil cestas. Para as comunidades quilombolas do estado, já foram entregues 1,3 mil. Cada unidade é composta por arroz, farinha, óleo, açúcar, flocos de milho, macarrão e leite em pó.

Para a ministra Damares Alves, é fundamental o apoio de outras organizações na execução de políticas públicas na ponta. “Para que o Governo Federal chegue no interior, em municípios mais distantes, essas parcerias são muito importantes. Dessa forma, conseguimos atender da melhor forma possível todas as pessoas, diminuindo os efeitos da pandemia”, afirmou.

Paraíba

Na Paraíba, a Funai iniciou a entrega de mais de 6 mil cestas básicas adquiridas pela Conab a comunidades indígenas no estado.

Esta é a primeira etapa de doações das cestas da Conab, que foram obtidas com recursos do MMFDH. Serão entregues 3,1 mil cestas a 38 comunidades indígenas das etnias Potiguara, Tabajara e Warao nesta semana. Mais 3,1 mil cestas serão doadas na segunda etapa, prevista para ser realizada ainda na primeira semana de junho.

A distribuição feita pela Conab e Funai vai levar 71,9 toneladas de alimentos aos municípios de Baía da Traição, Marcação, Rio Tinto, Conde e João Pessoa. 

Mato Grosso e Parque do Xingu

A Coordenação Regional da Funai Norte do Mato Grosso distribuiu 499 cestas de alimentos para quatro Terras Indígenas e parte do Parque Indígena do Xingu. A iniciativa beneficiou o mesmo número de famílias das etnias Kayapó, Tapayuna, Juruna, Terena, Kayabi e Munduruku. O objetivo da Funai é garantir a segurança alimentar desses povos enquanto durar a pandemia de Covid-19 no país.

Servidores da Funai utilizam barcos para alcançar aldeias no MT. Fotos: Funai

A fundação investiu R$ 96 mil na aquisição dos itens e na operação de logística e manutenção de veículos. Do total desse valor, R$ 55.800 foram destinados para a aquisição dos alimentos e R$ 5.000 para a compra de sabão, também distribuído nas indígenas. 166 cestas vieram de doações. “Nós entregamos cestas básicas na aldeia Capoto e estamos retornando para Colíder”, relata o indígena Moikara Txucarramãe, que é servidor da Funai na Coordenação Técnica Local Peixoto de Azevedo, vinculada à CR Norte do Mato Grosso.

 

 

Tags: #Coronavirusoron#MMDHMMFDHFundação Cultural do PalmaresFundação Cultural PalmaresConab

Conteúdo relacionado

  • Ribeirinhos do Pará e Amazonas recebem auxílio por meio de agências-barco
  • Governo entrega 10 mil máscaras de proteção individual em Roraima
  • Pescadores artesanais poderão solicitar auxílio emergencial

Indígenas e quilombolas de Pernambuco começaram a receber mais 31 mil cestas de alimentos doadas pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). O objetivo é reduzir os impactos do novo coronavírus nas populações em situação de vulnerabilidade social.

A ação é uma parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a Fundação Nacional do Índio (Funai), a Fundação Cultural Palmares (FCP) e a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai). A iniciativa faz parte do Plano de Contingência do Governo Federal. A previsão é destinar R$ 4,7 bilhões até o final junho de 2020.

Em Pernambuco, indígenas das comunidades Kambiwá, Pipipã, Tuxá de Inajá, Pankara de Itacuruba, Kapinawá, Aldeia Santana, Pankará, Aldeia Cimbres, Aldeia Tuxá Campos, Fulni-o, Atikum, Truká, Pankararu e Pankaiwká receberão, no total, 30 mil cestas. Para as comunidades quilombolas do estado, já foram entregues 1,3 mil. Cada unidade é composta por arroz, farinha, óleo, açúcar, flocos de milho, macarrão e leite em pó.

Para a ministra Damares Alves, é fundamental o apoio de outras organizações na execução de políticas públicas na ponta. “Para que o Governo Federal chegue no interior, em municípios mais distantes, essas parcerias são muito importantes. Dessa forma, conseguimos atender da melhor forma possível todas as pessoas, diminuindo os efeitos da pandemia”, afirmou.

Paraíba

Na Paraíba, a Funai iniciou a entrega de mais de 6 mil cestas básicas adquiridas pela Conab a comunidades indígenas no estado.

Esta é a primeira etapa de doações das cestas da Conab, que foram obtidas com recursos do MMFDH. Serão entregues 3,1 mil cestas a 38 comunidades indígenas das etnias Potiguara, Tabajara e Warao nesta semana. Mais 3,1 mil cestas serão doadas na segunda etapa, prevista para ser realizada ainda na primeira semana de junho.

A distribuição feita pela Conab e Funai vai levar 71,9 toneladas de alimentos aos municípios de Baía da Traição, Marcação, Rio Tinto, Conde e João Pessoa. 

Mato Grosso e Parque do Xingu

A Coordenação Regional da Funai Norte do Mato Grosso distribuiu 499 cestas de alimentos para quatro Terras Indígenas e parte do Parque Indígena do Xingu. A iniciativa beneficiou o mesmo número de famílias das etnias Kayapó, Tapayuna, Juruna, Terena, Kayabi e Munduruku. O objetivo da Funai é garantir a segurança alimentar desses povos enquanto durar a pandemia de Covid-19 no país.

Servidores da Funai utilizam barcos para alcançar aldeias no MT. Fotos: Funai

A fundação investiu R$ 96 mil na aquisição dos itens e na operação de logística e manutenção de veículos. Do total desse valor, R$ 55.800 foram destinados para a aquisição dos alimentos e R$ 5.000 para a compra de sabão, também distribuído nas indígenas. 166 cestas vieram de doações. “Nós entregamos cestas básicas na aldeia Capoto e estamos retornando para Colíder”, relata o indígena Moikara Txucarramãe, que é servidor da Funai na Coordenação Técnica Local Peixoto de Azevedo, vinculada à CR Norte do Mato Grosso.

 

Leia mais

Deputada Janete de Sá tem alta de UTI após uma semana internada com Coronavírus

Parlamentar do Espírito Santo foi internada no dia 21 em Vila Velha, na Grande Vitória. A deputada estadual Janete de Sá (PMN) teve alta médica...

MP prevê redução de jornadas e suspensão de contratos de trabalho custeadas pelo governo

Presidente Bolsonaro editou Medida Provisória que criou o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda Foto:...

Espírito Santo chega a 2.764 mortes e 78.744 curados em 93.069 casos de Coronavírus

O Espírito Santo registrou, até esta segunda-feira (10), 2.764 mortes por Covid-19. O número de casos confirmados chegou a 93.069. O índice de letalidade...

Leandro Karnal é o convidado da Live formadora da Vivescer nesta quinta-feira (23)

A Secretaria da Educação (Sedu), por meio do Termo de Cooperação firmado com o Conselho Nacional de Secretários de...

Leia também

Penha Cimadon é a entrevistada do Dipapo desta quinta-feira (01)

A próxima edição do programa Dipapo, projeto idealizado pela empresária, Dani Ferrari, juntamente com a Image Produções e a Rede Notícia, vai ao ar...

Justiça impede retomada das aulas presenciais nas escolas particulares do Espírito Santo

Autorizadas pelo Governo do Estado a retomar suas atividades presenciais a partir do dia 5 de outubro, as escolas particulares do Espírito Santo estão...

Disputa entre “Boca de baleia” e “Jacy Obama” vira piada em Água Doce do Norte

Água Doce do Norte viverá esse ano uma das políticas mais hilárias dos últimos anos. Entre os candidatos estão dois políticos que protagonizaram grandes...

INDICADORES: Alta no café arábica no início de outubro (1º)

A saca de 60 quilos do café arábica começou a quinta-feira (1º) com alta de 1,18% no preço e é vendida a R$ 541,13...