Igreja Universal cometeu crimes em Angola, afirma Procuradoria Geral da República do país


A Procuradoria Geral da República (PGR) de Angola e o Serviço de Investigação Criminal (SIC), que é a polícia federal do país africano, afirmam que as provas reunidas contra quatro integrantes da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) em Angola são “fartas e contundentes”. Esses integrantes da IURD foram denunciados por crimes como lavagem de dinheiro, evasão de divisas e associação criminosa. 

Reportagem da Folha de S.Paulo menciona os quatro investigados no caso: Honorilton Gonçalves da Costa, ex-representante máximo da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, Fernando Henriques Teixeira, ex-diretor da TV Record África, o bispo António Pedro Correia da Silva (então representante legal da Record e presidente do conselho da IURD em Angola) e o pastor Valdir de Sousa dos Santos. O processo está sob sigilo, mas deve vir a público em breve durante a tramitação judicial.

Edir Macedo e Igreja Universal na Angola

Edir Macedo e Igreja Universal na Angola (Foto: Reprodução)