Ifes realizará atividades não presenciais durante a pandemia do novo coronavírus

O Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes) publicou, nesta quinta-feira (7), uma resolução que regulamenta e normatiza a implementação das atividades pedagógicas não presenciais em cursos técnicos e de graduação presenciais, em função da situação de excepcionalidade da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). As atividades devem ser iniciadas em até 20 dias corridos, a partir da data da publicação do documento.

A pró-reitora de Ensino do Ifes, Adriana Piontkovsky Barcellos, explicou que após as discussões e a análise de cenários realizadas pelos campi, chegou-se ao entendimento que o Ifes deveria organizar o retorno do calendário escolar com atividades pedagógicas não presenciais. Dentro das possibilidades de excepcionalidade, várias reuniões culminaram com o texto da resolução. A partir de agora, os campi trabalharão na organização para implantação e implementação dessa oferta.

“Sabemos que esse processo é desafiador e complexo, mas entendemos que o envolvimento da comunidade escolar pode possibilitar que trabalhemos de forma diferente em tempos de tantas incertezas. Seguiremos acompanhando para que possamos ter condições de fazer o nosso melhor em prol da educação de nossos estudantes e das condições de trabalho de nossos servidores. O intuito é buscar alternativas que possam atenuar as perdas nesse contexto de isolamento social”, afirmou a pró-reitora.

Cada campus, por meio da Gestão Pedagógica, docentes e coordenadores de cursos, com participação de representação estudantil, definirá as atividades curriculares a serem substituídas por atividades pedagógicas não presenciais, considerando os Planos de Ensino apresentados em cada disciplina, as ferramentas e os materiais a serem disponibilizados aos estudantes.

As atividades pedagógicas não presenciais serão consideradas como efetivo trabalho escolar e a carga horária trabalhada será utilizada para a substituição de carga horária presencial, desde que se atenda aos termos da resolução. Poderão ser ofertadas, semanalmente, o correspondente a até 100% da carga horária total semanal planejada para o módulo ou período letivo.

Nos casos em que não for possível o acesso do estudante às tecnologias de informação e comunicação para a realização das atividades pedagógicas não presenciais, após terem sido esgotados os meios propostos na resolução e consideradas suas condições de saúde física e mental, caberá aos campi do Ifes criar estratégias para assegurá-las quando as atividades presenciais retornarem.

Veja alguns pontos da resolução:

Acesso
O estudante que não tiver acesso à internet, ou limitações à utilização dos recursos de tecnologias de informação e comunicação, deve informar ao campus o endereço que está utilizando neste momento de isolamento social, além do nome das pessoas autorizadas a receber e entregar atividades na unidade de ensino. É uma das responsabilidades dos docentes disponibilizar no campus as atividades a serem entregues de forma impressa a esses estudantes.

Em relação à disponibilização das atividades avaliativas, considerando também o seu recebimento e o seu envio aos docentes, cada campus definirá os procedimentos, respeitando as medidas de distanciamento social e as orientações dadas pelos órgãos de saúde para este período.

Atividades práticas profissionais de estágios e de laboratório
A resolução veda a aplicação de atividades pedagógicas não presenciais em substituição às atividades práticas profissionais de estágios e de laboratório, em conformidade com o previsto nas portarias do Mec.

Estudantes com necessidades específicas
As atividades pedagógicas não presenciais para estudantes com necessidades específicas devem seguir as orientações das diretrizes operacionais de acessibilidade do Ifes, a Resolução CS nº 55/2017 e o previsto nesta Resolução. O planejamento deve ser acompanhado pela equipe do Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas (Napne).

EJA
As atividades pedagógicas não presenciais destinadas à Educação de Jovens e Adultos, quando adotadas, devem considerar, na escolha dos componentes curriculares a serem substituídos, na elaboração de metodologias e nas práticas pedagógicas, as singularidades dessa modalidade de ensino, conforme legislação específica.

Tecnologias
Para fins de registro das atividades não presenciais, o docente deverá utilizar, preferencialmente, o Ambiente Virtual de Aprendizagem(AVA) institucional Moodle gerenciado pelo Cefor. Outras tecnologias também podem ser utilizadas como alternativas ou de forma complementar: e-mail institucional e de grupos em aplicativos de mensagens instantâneas; videoaulas, fotos e vídeos com envio de links, podcasts, murais colaborativos, fóruns, blogs, mapas mentais colaborativos, animações; sistemas de webconferência, teleconferência e chats; laboratório com uso de forma remota; mídia televisiva com diversidade de programação; material impresso, mídia offline, livros didáticos e paradidáticos, livros de literatura, jornais, revistas, obras literárias, infográficos, bem como artigos científicos; materiais temáticos elaborados pelos docentes; metodologias que envolvam guia de atividades com rotina escolar, pesquisas, projetos, entrevistas, experiências, simulações; entre outros recursos. (veja todas as possibilidades na resolução)

Avaliações
A avaliação de rendimento deve ser realizada por meio de diversos instrumentos, como questionário de autoavaliação; espaço para verificação da aprendizagem de forma discursiva; lista de exercícios; utilização do acesso às videoaulas como critério; elaboração de pesquisa científica; realização de avaliação oral individual ou em pares; debate em fóruns, estudos de caso, exercícios, trabalhos compartilhados, relatórios, prova online, projetos, autoavaliação, entre outros.

A avaliação também deve ser proporcional ao conteúdo trabalhado. Ou seja, um componente curricular que oferte 20% de carga horária de ensino em atividades pedagógicas não presenciais poderá atribuir até 20% da pontuação que ainda não foi distribuída. Será assegurado aos estudantes momentos de recuperação paralela, durante o distanciamento social ou no retorno das atividades presenciais.

Estudantes finalistas
Aos estudantes finalistas poderá ser ofertada carga horária ampliada ao estabelecido no art.5º da resolução, a fim de possibilitar a oferta de atividades não presenciais e de outros recursos disponíveis que permitam cumprir as horas requisitadas para conclusão do curso.

Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC) e atividades complementares
As atividades de orientação e apresentação de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) devem ser mantidas de maneira não presencial, mediadas por recursos e tecnologias de informação e comunicação. A banca examinadora para os TCCs deverá acontecer na forma de webconferência, com a participação de examinadores a distância.

O estudante de curso de graduação que apresentarem pendência na entrega de documentos para carga horária das atividades acadêmicas complementares para a colação de grau em 2020/1 deverá encaminhar cópia digital legível dos documentos para o e-mail da coordenadoria de curso solicitando análise da documentação, conforme prazo determinado pelo calendário acadêmico do campus.

Acesse o documento.

Leia mais

Morte de motorista de ambulância por Coronavírus reforça necessidade de cuidados entre os profissionais no Espírito Santo

Dejair Siqueira Rangel, de 69 anos, trabalhava há anos como motorista de ambulância no município de Vila Velha. Ele recebeu homenagem dos colegas. Por André...

Brasil possui 197 registros e 14 mortes relacionadas à síndrome pediátrica rara associada ao novo coronavírus

Boletim do Ministério da Saúde aponta 197 casos de crianças e adolescentes entre 0 e 19 anos acometidos com a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica...

Enivaldo comemora contrato que autoriza porto em São Mateus

O deputado estadual Enivaldo dos Anjos (PSD) comemorou...

Acidentes na BR-101, no ES, deixam três mortos durante final de semana

Três pessoas morreram em acidentes na BR-101 no...

Leia também