Idosos venecianos: vacinação contra a Covid-19 traz esperança e emoção

» Adélia Roveda Pilon e Agostinho Pilon, ambos de 92 anos

Entre os entrevistados, a alegria e a esperança por dias melhores são unânimes. Na reportagem não há espaço para outra coisa, somente a espera pela segunda dose do imunizante


Com a distribuição das doses da CoronaVac, imunizante contra a Covid-19, a Secretaria de Saúde de Nova Venécia havia vacinado até o último dia 10, 254 idosos do município, com mais de 90 anos.

Com o coração cheio de esperança, idosos e seus familiares narraram para a reportagem de A Notícia, como foi esse momento histórico, de serem vacinados contra o novo coronavírus.

Vacina e esperança

O clima na casa da dona Neuza Vilela Pellegrino, 90 anos, já é outro. A idosa completou 90 anos no último dia 05, e de presente, ganhou o que tanto esperava: recebeu a primeira dose do imunizante contra a Covid-19. “Senti muita alegria, mesmo que tenha ainda que utilizar a máscara e tomar todos os cuidados, não há problema, porque o que conta é a esperança por dias melhores”, diz a dona Neuza.

A aposentada mora no Centro, com a filha, a Berê Pellegrino, que relata que a mãe não teve nenhuma reação ao ser imunizada, no último dia 10. “Meu irmão, que mora em São Mateus, chorou de emoção ao receber a foto dela tomando a vacina. Estamos muito felizes e esperançosos”, diz a Berê.

Segundo a filha, que também é aposentada, agora é esperar a segunda dose. “Estou muito, muito feliz. Essa primeira dose já nos traz um certo alívio e muita esperança de prosseguirmos com Fé, e firmes com a Graça de Deus. Mamãe está dentro de casa desde o início da pandemia, sai apenas para ir à fisioterapia”, afirma Berê.

» Dona Neuza Vilela Pellegrino, 90 anos

Outra aposentada que também é só felicidade é a dona Olímpia Maria Gonçalves, 98 anos. Sem ter reação alguma após tomar a vacina, mãe de 12 filhos, moradora de bairro Bonfim, a idosa recebeu o imunizante como os outros idosos, em casa. De acordo com uma das filhas, a Zélia Gonçalves, a mãe narrou que está com imensa felicidade e esperança, pois há quase um ano, não faz uma das suas atividades prediletas, que é ir à Missa. “Ela é do Apostolado da Igreja Nossa Senhora do Bonfim. Para mamãe não ir a Missa, está sendo difícil, ela quer voltar ir à igreja, a abraçar as amigas, é o que ela afirma”, fala.

Mais um aposentado que já está com a primeira dose em dia da vacina, é o Firmino Secchin, 91 anos, morador do bairro Margareth. De acordo com a filha, a Regina Sechin, sem nenhuma reação após vacina, a alegria e esperança da família é imensa. “A minha sensação foi de muita emoção e gratidão a Deus, por permitir que a primeira dose da vacina chegasse ao meu pai. Estamos ansiosos, aguardando que ele receba a segunda dose, quando estará realmente protegido e, assim, podermos visitá-lo com mais segurança”, fala a filha.

» Firmino Secchin, 91 anos

O seu Agostinho Pilon e a dona Adélia Roveda Pilon, ambos 92 anos, também já estão imunizados. A filha, a professora Sônia Pilon afirma confiar na imunização, e relata que os pais também não tiveram nenhuma reação. “Vamos aguardar a segunda dose. Mesmo tendo que continuar com os cuidados, sabemos que já é uma esperança”, fala Sônia, que conta que os pais saem de casa apenas de carro, para passear. “Mamãe é asmática, os dois idosos, todo cuidado é pouco. Mas agora, gerou um pouquinho mais de segurança, estamos esperançosos”.

O idoso mais velho do município, o seu Afonso Ribeiro da Silva, com 110 aos, foi vacinado no último dia 10. Morador do distrito do Patrimônio do Bis, seu Afonso recebeu a primeira dose do imunizante.

» Seu Afonso Ribeiro da Silva, 110 anos

Fonte: Cintia Zaché / redenoticiaes

Leia mais

Leia também