Idaf embarga 21 áreas para recuperação vegetal em Santa Teresa

Fiscalização foi orientada por um sobrevoo prévio feito em dezembro que mapeou 38 pontos para averiguação após a denúncia de impacto ambiental gerado pela especulação imobiliária na região.

Mais de 20 áreas foram embargadas pelo Idaf em Santa Teresa após suspeita de crime ambiental — Foto: Divulgação/ Idaf

Mais de 20 áreas foram embargadas pelo Idaf em Santa Teresa após suspeita de crime ambiental — Foto: Divulgação/ Idaf

Vinte e um terrenos na zona rural de Santa Teresa, no Espírito Santo, sob suspeita de crime ambiental foram embargados pelo Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo (Idaf) para recuperação da vegetação. A ação é resultado de uma vistoria realizada por terra nos dias 13 e 20 de janeiro.

A fiscalização das equipes do Idaf e do Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) foi orientada por um sobrevoo prévio feito em dezembro que mapeou 38 pontos para averiguação após a denúncia de impacto ambiental gerado pela especulação imobiliária na região.

Nesses locais, havia suspeita de infrações como queimadas, supressão irregular de vegetação, terraplanagens em Áreas de Preservação Permanente (APPs) e fracionamento de imóveis rurais abaixo da parcela mínima permitida por lei.

Áreas foram identificadas após sobrevoo — Foto: Divulgação/ Idaf

Áreas foram identificadas após sobrevoo — Foto: Divulgação/ Idaf

De acordo com o gerente do escritório do Idaf em Santa Teresa, Fabrício Fardin, todos os proprietários das 21 áreas embargadas já foram identificados.

“Vamos entregar um relatório à Prefeitura de Santa Teresa, que é responsável pelo ordenamento do uso e da ocupação do solo, e pelo licenciamento dos loteamentos, para tomar as devidas providências que cabem ao município. O Idaf, nos próximos dias, estará aplicando as penalidades cabíveis”, conta Fardin.

De acordo com ele, no caso de construções irregulares, podem ser feitas até demolições, a depender de ordem judicial.

Segundo o gerente de Licenciamento e Controle Florestal do Idaf, Fabricio Zanzarini, após o sobrevoo em dezembro, foi elaborado um relatório, com informações sobre os responsáveis pelas áreas.

Foram verificados desmates em 14 pontos, sendo dois já com loteamentos e outros com terraplanagem.

Em 11 pontos foram detectados terraplanagem, sendo quatro com loteamentos em implantação e outros com indícios. Em sete pontos, foi verificado o preparo do solo para cultivo agrícola, onde, provavelmente, não há infração.

Leia mais

Leia também