Iases regulamenta diretrizes de atendimento ao adolescente LGBTI+

O Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) regulamentou, nessa quarta-feira (27), as diretrizes para atendimento ao adolescente LGBTI+ no sistema socioeducativo. A normativa foi publicada no Diário Oficial do Estado, por meio da Instrução de Serviço nº 0230.

O documento, que padroniza os procedimentos de atendimento ao adolescente LGBTI+ nas unidades socioeducativas, foi elaborado em parceria com Gerência de Políticas de Diversidade Sexual e de Gênero, da Secretaria de Direitos Humanos (Sedh).

Dentre as determinações está a regulação da forma como o(a) adolescente LGBTI+ deve ser chamado, respeitando sua orientação sexual e de gênero; e os procedimentos de segurança e de revista pessoal, que também deverão orientar-se pela identidade de gênero autodeclarada pelo(a) adolescente.

O adolescente da população LGBTI+ em privação de liberdade tem direito de ser tratado pelo seu nome social, de acordo com a sua identidade de gênero. Este nome também deverá ser utilizado em quaisquer documentos de registro de informações, como formulários de atendimento, avaliações e relatórios. A instrução institucionaliza e torna padrão para todas as unidades socioeducativas procedimentos que já eram praticados em algumas unidades.

A diretora socioeducativa do Iases, Fabiana Malheiros, afirmou que a regulamentação é um marco no atendimento ao adolescente LGBTI+. “A regulamentação vai ao encontro das normativas de direitos humanos e direitos das pessoas LGBTI+, além de marcar uma mudança de cultura institucional que exige respeito, ética e humanização aos adolescentes.”

A presidenta do Conselho Estadual LGBT+ (CELGBT+) e psicóloga da Gerência de Diversidade Sexual e Gênero da SEDH, Marina Bernabé, falou sobre a importância da nova regulamentação, que é fruto de um histórico de debates e discussões. “A instrução é extremamente importante, pensando não só na população LGBTI+, mas também na pauta da infância e juventude, pois trata de adolescentes e jovens em cumprimento de medida socioeducativa. É um processo democrático, que fala que estes corpos podem se expor e ser quem são”, disse.

O gerente de Políticas de Diversidade Sexual e de Gênero da Sedh, Renan Cadais, lembrou que a 4º Conferência Estadual LGBTI+, realizada em 2019, teve como pauta a efetivação das diretrizes de atendimento à população LGBTI+ em privação de liberdade. “A publicação da instrução dialoga com uma demanda histórica do movimento LGBTI+. No momento em que se reafirma isso, mostramos o quanto o diálogo de construção coletiva tem um papel importante na efetivação das políticas de direitos humanos e das diversidades do ser humano”, explicou.

 

Leia mais

Polícia apreende moto clonada em Água Doce do Norte

No último sábado, 11 de julho de 2020, durante patrulhamento no centro de Água Doce do Norte, foi avistada pela guarnição uma motocicleta CG...

Ministro Marcos Pontes conhece empresa brasileira responsável pela fabricação de respiradores

Governo comprou de empresa nacional 6,5 mil aparelhos para reforçar rede pública – Foto: ...

Comércio funciona neste sábado em todo o Estado

O comércio de todos os municípios do Estado...

Policiais do ES são presos em Minas Gerais por suspeita de envolvimento com jogos de azar

Dois policiais militares capixabas foram presos no município...

Leia também

Número de casos de Covid-19 voltará a aumentar no ES, diz secretário de Saúde

O número de casos de Covid-19 voltará a...

Projeto de lei prevê punição para quem hostilizar profissionais de imprensa

Projeto de Lei apresentado pelo senador Fabiano Contarato (Rede-ES), pretende criminalizar a hostilização aos profissionais de imprensa. De acordo com o PL 4.522/2020, hostilizar...