Hospital Universitário de Brasília oferece atendimento virtual a indígenas

Hospital da Rede Ebserh em Brasília oferece atendimento virtual para aosindígenas

A teleconsulta é realizada por chamada de vídeo, de segunda a sexta-feira, de 14h às 18h. Foto: Ebserh

O Hospital Universitário da Universidade de Brasília criou um programa de telessaúde para atender às comunidades indígenas do Distrito Federal, incluindo os alunos da UnB. A iniciativa é coordenada pelo Ambulatório de Saúde Indígena do HUB e conta com orientações sobre Covid-19 e outras doenças, teleconsultas em várias especialidades, espaços para troca de conhecimento entre as comunidades e discussões virtuais em grupo, com equipe multiprofissional.

“Com esse projeto, conseguimos ampliar a oferta de serviços de saúde com segurança e garantimos o atendimento universal”, afirma o chefe da Divisão Médica do HUB, Luciano Talma. 

Com febre, dor de cabeça, coriza e falta de ar, o estudante de Ciência Política da UnB, Danilo Tupinikim, de 20 anos, procurou o teleatendimento. Por apresentar sintomas de Covid-19, Danilo foi orientado a ir ao HUB, onde realizou o exame RT-PCR para diagnóstico da doença e recebeu orientações para ficar em repouso e em isolamento por 14 dias. Até a liberação do resultado, ele continuou sendo monitorado pelos profissionais com novas ligações. “Eu estava desesperado, porque moro sozinho e não tinha informação alguma. Me senti muito acolhido, principalmente porque estavam dispostos a me escutar”, avaliou ele.

Para a coordenadora do ambulatório, Graça Hoefel, o indígena pode passar por sofrimento e adoecimento psíquico durante a pandemia, pois não está habituado ao isolamento e deixou de realizar o ritual comunitário de passagem nos casos de morte pelo novo coronavírus. “A Covid chegou nas comunidades indígenas, que estão muito fragilizadas, com pouco recurso e poucas informações. Esperamos conseguir dar apoio e atenção à saúde dessa população”, explica. 

A auxiliar de serviços gerais, Renalda Tupinikim, de 50 anos, mora na Aldeia de Caieiras Velha, que fica no Espírito Santo. Ela ficou sabendo do serviço pela sobrinha, que é estudante da UnB. “Gostei muito do atendimento e estou feliz por ter conseguido a consulta. Tirei todas as minhas dúvidas. Farei alguns exames e devo ter um retorno na semana que vem”, conta ela, que se queixava de dores nas costas. 

Teleatendimento 

A teleconsulta é realizada por chamada de vídeo, de segunda a sexta-feira, de 14h às 18h. O indígena que precisa de qualquer orientação ou atendimento de saúde deve agendar pelo telefone (61) 2028-5422, que também funciona como WhatsApp.

Primeiro, ele passa por um acolhimento virtual, com equipe interdisciplinar formada por estudantes, professores e profissionais de diversas áreas, como enfermagem, farmácia, medicina, odontologia, saúde coletiva, psicologia e serviço social. 

Com essa visão ampla das necessidades de saúde, o paciente é encaminhado para o cuidado que precisa, podendo ser teleatendimento em saúde mental com psicólogos e psiquiatras, grupos virtuais para troca de experiências com outras comunidades indígenas, cursos online para formação de lideranças sobre como lidar com a pandemia e teleconsultas em várias especialidades médicas, como neurologia, cardiologia, pneumologia e reumatologia. 

A estudante indígena da UnB, Suliete Baré, agradece a iniciativa. Ela é formada em engenharia florestal e atualmente faz mestrado em direitos humanos. “Nesse momento de isolamento social, muitos indígenas estão longe de suas famílias. Além da Covid, temos uma preocupação muito grande com a saúde mental do nosso povo. Esse atendimento sem precisar se deslocar veio em um momento muito importante”, conta Suliete. 

Ambulatório de Saúde Indígena

O HUB é referência no atendimento à população indígena do Distrito Federal. Desde 2013, o hospital conta com o Ambulatório de Saúde Indígena. O serviço é formado por profissionais de saúde, professores e alunos da UnB, a maioria indígena. Eles são responsáveis pelo acolhimento e acompanhamento nas consultas, procedimentos e internação. Esse trabalho facilita o contato entre médico e paciente, já que reduz as dificuldades causadas pelas diferenças culturais. 

O hospital e vinculado à Rede Ebserh.Em algumas regiões, as unidades da rede têm atuado como hospitais de referência ao enfrentamento do Covid-19, enquanto que em outras, atuam como retaguarda em atendimentos assistenciais para a população, por meio do Sistema Único de Saúde.

 

Com informações da Rede Ebserh

Leia mais

Live sobre gestão pedagógica reúne profissionais capixabas

As equipes das Gerências de Educação Infantil e Ensino Fundamental e de Ensino Médio da Secretaria da Educação (Sedu) promovem, nesta quinta-feira, 23, a live “Gestão...

ES: mulher é presa em agência bancária ao tentar fazer transação de R$ 270 mil

A vítima é uma idosa, de 73 anos, do Rio Grande do Sul. A golpista é do estado de Goiás. O crime é investigado...

Ataque a tiros deixa três pessoas feridas no Espírito Santo

Crime aconteceu por volta das 20h30 de sábado (25) em uma região conhecida como 'Favelinha do Ibes'. Por Daniela Carla, TV Gazeta Três pessoas em situação...

Leia também

Brasil assina declaração sobre defesa do acesso das mulheres a promoção da saúde

Foto: Reprodução Trinta e um países, incluindo o Brasil, assinaram, em cerimônia virtual, a chamada Declaração de Consenso de Genebra, um documento no qual...

Publicadas regras de flexibilização do programa A Voz do Brasil

Apenas as rádios educativas devem manter o início da transmissão às 19h. A portaria que estabelece as condições, critérios e procedimentos para a flexibilização e...

Arrecadação prevista pelo Governo Federal em 2020 deve ter queda ‘brutal’, avalia IFI

Com a revisão mais recente feita pelo Executivo, a previsão da arrecadação do Governo Federal em 2020 terá uma redução de 12%. Em análise...

Espírito Santo autoriza funcionamento de cerimoniais infantis a partir de 3 de novembro

  O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), anunciou nesta sexta-feira (23) a autorização para o funcionamento de cerimoniais e espaços de recreação infantis...