Homem é suspeito de usar registro profissional da esposa para atender pacientes no Espírito Santo

 

O marido de uma médica, de 40 anos, é suspeito de atender pacientes no lugar da esposa em uma unidade de saúde do município de Atílio Vivácqua, no Sul do Espírito Santo. De acordo com uma denúncia feita à polícia, ele usava o carimbo com o registro profissional da mulher para receitar medicamentos. O caso está sendo investigado.

A doméstica Elisângela Costa foi atendida pelo suspeito no dia 7 de janeiro. Ao chegar em casa, o marido dela percebeu que o carimbo com o número do registro profissional no Conselho Regional de Medicina (CRM) na receita médica pertencia a uma mulher.

“Quando olhei o CRM, era “Aline”, e ele [médico] colocou um “G” na assinatura. Ele estava exercendo a função dele de médico ilicitamente, não é há pouco tempo. Ele chegou a me receitar clonazepam. Tem um papel aqui que ele me receitou minha fisioterapia, onde tem carimbo da médica assinado por ele”, disse.

Suposto médico atendia em unidade de saúde usando carimbo da esposa — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Suposto médico atendia em unidade de saúde usando carimbo da esposa — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Desconfiada da situação, ela denunciou o caso ao vereador Renan Corrêa. No início da tarde desta quarta-feira (13), o vereador foi até a unidade de saúde e flagrou o suposto médico trabalhando no local.

Um vídeo mostra o momento em que o suspeito alega que era estagiário da médica e que só estaria fazendo um “acompanhamento”. Entretanto, a médica, que é contratada pela prefeitura, não aparece nas imagens. O posto de saúde não possui ponto eletrônico.

Um boletim de ocorrência sobre o caso foi registrado na Polícia Civil. O médico foi conduzido até a delegacia e disse aos policiais que era estudante de medicina, mas não explicou por que atendia no lugar da esposa e usava o carimbo dela.

A Prefeitura de Atílio Vivácqua disse que abrirá procedimento disciplinar para investigar o caso. A médica foi afastada temporariamente da função.

O suspeito assinou um termo circunstanciado pelo crime previsto no artigo 282 do Código Penal, que é “exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de médico, dentista ou farmacêutico sem autorização legal” e foi liberado para responder em liberdade após assumir o compromisso de se apresentar em juízo.

O Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES), em nota, disse que ainda não recebeu nenhuma denúncia ou informação oficial sobre esse caso.

Suposto médico é flagrado usando carimbo da esposa — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Suposto médico é flagrado usando carimbo da esposa — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

Leia mais

Leia também