Grupo de Famílias atendido pelo CAAD participa de palestra dos ‘16 Dias de Ativismo’ • SiteBarra

Grupo de Famílias atendido pelo CAAD participa de palestra dos ‘16 Dias de Ativismo’

Integrantes do Grupo de Famílias atendido pelo Centro de Acolhimento e Ação Integral sobre Drogas (CAAD) participaram de uma palestra ministrada pela subsecretária de Estado de Políticas para as Mulheres, da Secretaria de Direitos Humanos (SEDH), Juliane Barroso, na última quinta-feira (09), no auditório do Palácio da Fonte Grande, em Vitória.

A atividade contou com a parceria da Subsecretaria de Políticas sobre Drogas e teve como tema “Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”. Fazem parte dos Grupos de Famílias atendidos pelo CAAD os parentes de pessoas que enfrentam problemas decorrentes do uso de álcool e/ou outras drogas. Esse trabalho integra o Programa de Ações Integradas sobre Drogas, mais conhecido como Rede Abraço, que entende que o cuidado com as famílias de quem enfrenta a dependência química também é necessário.

Nesta perspectiva, estas famílias foram convidadas a participar da palestra, que integrou a programação dos “16 Dias de Ativismo pelo Fio da Violência contra as Mulheres”.

“Falamos sobre a história e a importância da campanha dos ‘16 Dias de Ativismo’. Foi uma palestra dialogada e muito rica. Abordamos também sobre políticas públicas, a necessidade de organização das mulheres no processo de transformação da realidade e também sobre as diferentes violências que estamos sujeitas”, explicou a subsecretária Juliana Barroso.

“16 Dias de Ativismo”

A campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres” é uma mobilização anual praticada simultaneamente por diversos atores da sociedade civil e dos poderes públicos. Desde a primeira edição, em 1991, já conquistou a adesão de cerca de 160 países.

Mundialmente, o movimento teve início no dia 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e se estendeu até o dia 10 de dezembro, quando é celebrado o Dia Internacional dos Direitos Humanos. No Espírito Santo, a mobilização anual reúne diversos setores públicos e organizações no enfrentamento da violência.