Governo trabalha para garantir a segurança energética no país

Governo trabalha para garantir a segurança energética no país

Reunião mensal do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico ocorreu nesta segunda (7) Foto: MME

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, assegurou, nesta segunda-feira (7), que não há risco de o país sofrer racionamento de energia em função da escassez de chuvas, em especial nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o que gera impacto no fornecimento de energia elétrica.

“Não há possibilidade alguma de racionamento nem de blecaute por conta dessa situação hídrica. O que nós estamos fazendo é acompanhando por meio do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico”, afirmou o ministro.

O ministro lembrou que os meses de outubro e novembro deste ano foram os mais secos do período nos últimos 90 anos, mas que, apesar da situação preocupante, o Governo Federal está tomando medidas necessárias para garantir a segurança energética.

Medidas

Entre as medidas adotadas, está o acionamento de praticamente todo o parque térmico brasileiro disponível, desde meados de outubro deste ano; e a importação adicional de energia da Argentina e do Uruguai, também desde outubro.

Por conta da situação, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) também autorizou a cobrança da bandeira vermelha patamar 2 em dezembro na conta de luz do consumidor das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. A ideia é incentivar os consumidores a economizar energia.

“Nós estamos cumprindo exatamente os protocolos, os modelos existentes, para que nós tenhamos o que é mais importante, segurança energética para todo o sistema interligado nacional”, acrescentou o ministro Bento Albuquerque.

Segundo o Ministério de Minas e Energia, de todas as regiões brasileiras, a Nordeste é a que está, neste momento, com o melhor armazenamento de água nos reservatórios, pouco mais de 50%. Os reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste estão com 16,5% da capacidade armazenada. A região Sul está com 20,3% e a Norte, com 27%.

Leilões de energia elétrica

Segundo o Ministério de Minas e Energia, quatro leilões de energia elétrica serão feitos em 2021 para aumentar a oferta existente. Eles serão nas modalidades de hidrelétrica, termelétrica, eólica, solar e fotovoltaica. 

Apagão no Amapá

Após a reunião mensal do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, também foram prestadas contas das ações do Governo Federal para ajudar no restabelecimento de energia no Amapá no mês passado. Entre as medidas, está a instituição do Gabinete de Crise e a contratação de termelétricas para atender ao estado.

Segundo o Ministério de Minas e Energia, para reforçar a segurança das operações no estado, até o Natal todos os três transformadores da subestação de Macapá devem estar em funcionamento. O Governo Federal também está apurando as causas e responsabilidades do ocorrido naquele estado.

“Isso já está em fase bem avançada. Já temos a conclusão das primeiras etapas, que é a elaboração do Relatório de Análise de Perturbação pela ONS [Operador Nacional do Sistema Elétrico] e o processo fiscalizatório da Aneel, que ainda está em andamento”, informou o secretário de Energia Elétrica do Ministério de Minas e Energia, Rodrigo Limp.

Uma explosão destruiu, em 3 de novembro, um transformador de uma subestação do Amapá, que levava luz a grande parte da população, em 14 municípios. A energia já foi restabelecida no estado.

 

Leia mais

Leia também