Governo negocia possível realização da Copa América no Brasil

O ministro-chefe da Casa Civil, general Luis Eduardo Ramos, informou, nesta segunda-feira (31), que o Governo Brasileiro ainda avalia se o país sediará a Copa América, com início previsto para junho. A demanda da Conmebol foi feita via Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

“Hoje, eu recebi uma ligação do senhor Walter Feldman, da Confederação Brasileira de Futebol, onde ele apresentou uma demanda ao Governo Brasileiro sobre a realização da Copa América, que é um evento privado, tendo em vista que a Argentina, que seria uma das sedes, estava abrindo mão por problemas lá na Argentina, e Colômbia também”, explicou.

O ministro informou que foi convocada uma reunião com autoridades responsáveis para discutir a possível realização do evento no país. Entre os participantes estavam representantes dos ministérios da Saúde, da Justiça, da Infraestrutura e da Cidadania, por meio da Secretaria Nacional de Esporte.

Algumas condições foram impostas, caso o evento ocorra no Brasil, como, por exemplo, ausência de público nos estádios e garantia de vacinação de todos os integrantes das delegações. “É importante destacar que esse evento, caso se realize, ele não terá público. No momento são 10 times, no máximo. Já foi acordado nesta reunião, com a nossa presença e a CBF, por meio de videoconferência: são 10 times, com dois grupos, 65 pessoas por cada delegação, todos vacinados.”

O secretário especial do Esporte, Marcelo Reis Magalhães, explicou que a opção de sediar a competição de futebol, responsável por garantir vagas aos times sul-americanos para a Copa do Mundo, partiu da CBF. “A gente foi demandado pela CBF hoje pela manhã, e estamos fazendo os esforços para caso, caso, a gente venha realizar a Copa América que a CBF, por se tratar de um evento totalmente privado, negocie com estados e municípios onde serão as sedes. O Governo Federal apenas dará toda a parte de estrutura para a entrada dessas equipes no país.”