Governo Federal divulga programa de concessões na Europa e Oriente Médio • SiteBarra

Governo Federal divulga programa de concessões na Europa e Oriente Médio

Com o objetivo de atrair investidores para os projetos no Brasil, o Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura, apresenta seu programa de concessões na área de infraestrutura em países da Europa e Oriente Médio até o dia 17 de novembro. O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, passa pela França, Itália, Espanha e Emirados Árabes Unidos apresentando a carteira de projetos do Governo Federal a operadores mundiais e fundos soberanos de investimentos.

“Estamos focando nossa conversa nos maiores operadores de infraestrutura do mundo, dando prosseguimento às atividades que nós iniciamos em Nova Iorque, com fundos de investimentos e bancos. Em 2019 nós iniciamos esse movimento e, na época, nós estávamos mostrando um programa de infraestrutura ousado que estava nascendo, mas que hoje é uma realidade”, destacou o ministro Tarcísio de Freitas.

A divulgação começou em Paris, neste domingo (7) e nesta segunda-feira (8). Em seguida, a apresentação será feita em Milão e em Madri. Na sequência, o ministro Tarcísio Freitas viaja aos Emirados Árabes Unidos, onde terá reuniões em Abu Dhabi e Dubai. Nesta última parada, ele participa do painel “Oportunidades em Infraestrutura no Brasil” do Fórum Invest In Brazil, depois faz uma visita ao pavilhão do Brasil na Expo Dubai 2020.

No mês passado, a divulgação do programa de concessões de infraestrutura do Governo Federal ocorreu em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Por cinco dias, o ministro Tarcísio de Freitas se reuniu com investidores, executivos de instituições e fundos financeiros para fazer um balanço do programa de concessões do Ministério da Infraestrutura.

Desde 2019, já foram concedidos 34 aeroportos, seis rodovias, seis ferrovias, 31 arrendamentos, além de autorizações para 99 terminais de uso privado.

“Realizamos 77 leilões e já estamos chegando aos R$ 100 bilhões em contratos. Até o final de 2022, devemos contratar R$ 300 bilhões e temos certeza que o programa vai ser um grande sucesso. A gente já percebe o interesse na 7ª rodada de concessões de aeroportos, na privatização dos portos, nos leilões de rodovias do Paraná, nas rodovias do Centro-oeste, nas ferrovias, no programa de autorização ferroviária”, concluiu o ministro.

Novos leilões

De outubro a dezembro, o Governo Federal realiza a Super Infra, uma temporada de leilões que pretende atrair cerca de R$ 23,5 bilhões em investimentos privados ao setor de transportes.

O primeiro certame, realizado em 5 de novembro, garantiu quase R$ 15 bilhões em investimentos na rodovia Dutra/Rio-Santos. O leilão foi vencido pelo Grupo CCR.

No próximo dia 19 de novembro, será realizado o maior leilão de arrendamento portuário, com duas áreas destinadas a combustíveis no porto de Santos. A previsão é de que a área receba investimentos de R$ 1 bilhão em melhorias por parte do setor privado.

Já em 20 de dezembro, serão concedidas as rodovias BRs 381 e 262, em Minas Gerais e Espírito Santo. Serão aportados R$ 7 bilhões ao longo do contrato.

Projeção

Ainda neste ano devem ser publicados editais de leilões que ocorrerão no ano que vem. Entre eles estão a relicitação do aeroporto de São Gonçalo do Amarante, no Rio Grande do Norte (R$ 308 milhões); a concessão das BRs 116, 493 e 465, entre Rio de Janeiro e Governador Valadares (R$ 7 bilhões); e a primeira desestatização portuária, da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa), com investimentos de pelo menos R$ 780 milhões.

Existe ainda a possibilidade da renovação antecipada de contrato da malha ferroviária da MRS no Sudeste, com mais R$ 16,7 bilhões a serem investidos.

Para 2022, o Governo Federal conta ainda com os leilões de 16 aeroportos, com destaque para Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ); a desestatização do Porto de Santos; a concessão da Ferrogrão, de Sinop (MT) a Miritituba (PA), e mais de 12 mil quilômetros de rodovias, com destaque para o anel de integração do Paraná (R$ 44 bilhões em investimentos).

A previsão é de que esses leilões ultrapassem um total de R$ 160 bilhões em investimentos.