Governo envia proposta do programa BR do Mar ao Congresso Nacional

Governo Federal envia programa BR do Mar ao Congresso Nacional

Assinatura do Programa de Incentivo à Cabotagem – BR do Mar Foto: Carolina Antunes/PR

O Governo Federal enviou a proposta do Programa de Incentivo à Cabotagem, BR do Mar, nesta terça-feira (11), como projeto de lei, em caráter de urgência, ao Congresso Nacional. A cabotagem é a navegação entre portos ou pontos da mesma costa de um País. É um modo de transporte seguro, eficiente e que tem crescido mais de 10% ao ano no Brasil, quando considerada a carga transportada em contêineres.

A medida legislativa tem como objetivo aumentar a oferta da cabotagem, incentivar a concorrência, criar novas rotas e reduzir custos. Entre outras metas,o governo, por meio do Ministério da Infraestrutura, pretende ampliar o volume de contêineres transportados por ano de 1,2 milhão de TEUs (unidade equivalente a 20 pés), em 2019, para 2 milhões de TEUs, em 2022; além de ampliar em 40% a capacidade da frota marítima dedicada à cabotagem nos próximos três anos, excluindo as embarcações dedicadas ao transporte de petróleo e derivados.

Para a formulação do programa, foram realizadas reuniões com autoridades do governo, usuários, armadores, representantes da construção naval e sindicatos de marítimos. Segundo o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, quando se fala em transporte de cargas em um país com as dimensões territoriais do Brasil, é preciso pensar em vantagens e eficiências logísticas.

“Apesar do crescimento da cabotagem nos últimos anos, esse transporte tem potencial para crescer ainda mais, perto de 30% ao ano. Com o programa BR do Mar, vamos equilibrar a matriz de transporte, nos libertar de determinadas amarras, aumentando o uso de embarcações afretadas, reduzindo custos e burocracia, além de aumentar a oferta e incentivar a concorrência”, explica.

BR do Mar

O programa foca em quatro eixos temáticos: 

Frota – O programa estimula a frota em operação do País para que as Empresas Brasileiras de Navegação (EBNs) tenham maior controle e segurança na operação de suas linhas. Dessa maneira, propõe que a empresa que detém frota nacional poderá se beneficiar de afretamentos a tempo (quando o navio é afretado com a bandeira estrangeira, o que permite que ela tenha menores custos operacionais).

São previstas, ainda, outras hipóteses que permitirão às EBNs afretarem embarcações a tempo: para substituir embarcações que estiverem em reparo ou construção; para atender operações que ainda não existam; e para cumprir exclusivamente contratos de longo prazo.

Já os novos entrantes ou empresas de menor porte sem embarcações próprias poderão afretar a casco nu (o navio afretado passa a adotar a bandeira brasileira), sem a necessidade de lastro em embarcações próprias.

Indústria naval – O governo propõe diversas ações para fomentar a indústria naval, em especial no segmento de manutenção e reparos. A possibilidade de empresas estrangeiras utilizarem os recursos do Fundo da Marinha Mercante para financiarem a docagem de suas embarcações em estaleiros brasileiros é um exemplo de ação que, ao trazer maior escala para as operações dos estaleiros, irá beneficiar, também, as EBNs, que hoje utilizam estaleiros na Europa e até na China.

Custos – Ações que buscam viabilizar o aumento da competitividade das operações de cabotagem, com propostas que impactam custos de diversos tipos, como as burocracias que sobrecarregam as operações de cabotagem.

Portos – Uma iniciativa importante é a permissão do uso de contratos temporários para a movimentação de cargas que ainda não possuem operação no porto, agilizando a entrada em operação de terminais dedicados à cabotagem.

Além disso, o Governo Federal já trabalha com uma agenda de modernização portuária, tendo concluído desde o ano passado o arrendamento de 14 áreas portuárias, nas cinco regiões do país. Outras 14 áreas portuárias serão licitadas ainda este ano, além de 33 terminais de uso privado que serão autorizados.

Outra ação é a inclusão de novos investimentos em contratos já existentes. Tudo isso para garantir que os portos estejam preparados para o aumento da demanda de operações para cabotagem.

 

Com informações do Ministério da Infraestrutura

 

Leia mais

Prefeitura confirma primeiro caso de Coronavírus em Ecoporanga

A Prefeitura de Ecoporanga, por meio da Secretaria Municipal de Saúde CONFIRMA o primeiro caso de Coronavírus (Covid-19) em Ecoporanga, o paciente foi diagnosticado...

URGENTE: Governo estuda manter auxílio emergencial com valor menor até março

A ideia é que a prorrogação pague parcelas...

ES: motociclista fica preso embaixo de caminhão em acidente

Homem foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado consciente para o hospital. Um motociclista ficou preso embaixo de um caminhão...

EUA anunciam ajuda de US$ 3 milhões para combater o coronavírus no Brasil

O CDC trabalhará em colaboração com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Ministério da Saúde. ...

Leia também

Espírito Santo chega a 4.207 mortes e 170.664 curados em 184.801 casos confirmados de Covid-19

Na comparação com os dados divulgados nesta quarta-feira (25), o aumento é de 21 mortes e 1.946 novos casos da doença. Exame de coronavírus —...

O TEMPO E A TEMPERATURA: Frente fria causa chuva em todos os estados da região Sul nesta sexta-feira (27)

Nesta sexta-feira (27), uma frente fria ainda atua no Sul do País, o que deve manter o tempo instável na região. Há previsão de...

O TEMPO E A TEMPERATURA: Centro Oeste do país tem tempo aberto e poucas chuvas nesta sexta-feira (27)

Na sexta-feira (27), na Região Centro-Oeste do país parte do clima deve se manter com chuvas em áreas isoladas, como a nebulosidade que aumenta...

O TEMPO E A TEMPERATURA: Região Norte do país tem previsão de chuva, nesta sexta-feira (27)

A partir desta sexta-feira (27), no Norte do país, as chuvas mais volumosas ocorrem no Acre, em Rondônia e no oeste e norte do...