Governo do Espírito Santo proíbe venda de roupas e eletrônicos em supermercados durante a quarentena

O novo decreto, publicado pelo governo estadual neste sábado (20), também proíbe o uso de cadeiras e de guarda-sol em praias, lagoas e cachoeiras durante esse período.

Supermercados não podem vender produtos de vestuário, eletrônicos e eletrodomésticos durante quarentena no ES

Supermercados não podem vender produtos de vestuário, eletrônicos e eletrodomésticos durante quarentena no ES

Os supermercados estão proibidos de comercializar produtos de vestuário, assim como eletrônicos e eletrodomésticos durante o período de vigência da quarentena no Espírito Santo, que tem como objetivo conter o avanço da pandemia da Covid-19 e reduzir a pressão sobre o sistema de saúde.

A nova proibição foi feita pelo governo estadual em um novo decreto publicado neste sábado (20) em uma edição extra do Diário Oficial. Trata-se de uma complementação, que altera o texto do decreto publicado no dia 17 de março, no qual estão previstas as normas a serem seguidas durante a quarentena.

De acordo com o novo decreto, os supermercados estão proibidos de vender em suas lojas:

  • eletrodomésticos
  • eletrônicos
  • equipamentos de informática
  • ferramentas
  • vestuário, acessórios e calçados
  • artigos de cama
  • itens de decoração e equivalentes

Todos esses produtos deverão ser retirados dos mostruários ou separados dos demais produtos vendidos com o uso de fitas.

No mesmo decreto, o governo estadual também acrescentou a proibição do uso de cadeiras e guarda-sol nas praias, rios, lagoas e cachoeiras até o fim da quarentena. No decreto inicial, a proibição era apenas do uso de barracas.

Além disso, continuam suspensos também qualquer tipo de prestação de serviços e o trabalho de vendedores ambulantes. A fiscalização dessa norma fica a cargo de cada município, conforme explica o decreto.

Atualmente, o índice de ocupação de leitos de UTI no Espírito Santo chega a 93,23%.

Leia mais

Leia também