Governo do ES recebe mais 90 respiradores comprados da Itália

Nesta quarta-feira (1º), o Governo do Espírito Santo recebeu 90 respiradores comprados da Itália. A expectativa é que eles reforcem a estrutura de atendimento hospitalar às vítimas de Covid-19 no estado, onde já foram registradas  1.692 mortes e 48.821 infectados.

Der acordo com o governo, os 90 respiradores fazem parte de um total de 350 adquiridos da empresa Siare Engineering International Group, que tem sede em Bologna, na Itália, e que estão sendo entregues de forma parcelada.

A primeira entrega, com 60 equipamentos, aconteceu no dia 25 de maio; a segunda, com 100, no início de junho e; e os 100 restantes devem chegar ao estado até o final de julho.

No domingo (28), outros 14 equipamentos adquiridos de uma empresa nacional já tinham chegado, segundo o governo.

Eles foram comprados da Novitech Comercio e Serviços Ltda, sob o valor de R$ 70 mil a unidade. No caso desta empresa, de uma compra de 30 respiradores, 20 já foram entregues.

Decisão judicial para financiar 250 respiradores

Dos 350 respiradores pulmonares adquiridos pelo Estado por meio da empresa italiana Siare Engineering International Group, 250 foram pagos mediante recursos oriundos de uma decisão judicial da Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e a Advocacia-Geral do Estado de Minas Gerais (AGE-MG), interposta na Justiça Federal de Minas Gerais em abril deste ano.

De acordo com o subsecretário de Estado de Administração e Financiamento de Atenção à Saúde, Rafael Grossi, o recurso é proveniente de valores que estão depositados em juízo pela mineradora Samarco no caso do rompimento da Barragem de Mariana (MG) e que serão destinados a ações de enfrentamento à Covid-19.

“Os valores para aquisição dos respiradores foram viabilizadas pelo juiz Mário de Paula Franco Júnior, da 12ª Vara Federal de Minas Gerais, cuja decisão disponibilizou os investimentos ao enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus, sendo fiscalizados por controles internos, externos e também pelo Poder Judiciário”, explicou Rafael Grossi.

Informações: G1/ES

Leia mais

Leia também