Governo determina suspensão de cirurgias eletivas em hospitais privados do Espírito Santo

Os hospitais privados de todo o Espírito Santo não poderão realizar cirurgias eletivas não-essenciais pelos próximos 30 dias.

A determinação foi dada pelo secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, em um decreto publicado no Diário Oficial desta segunda-feira (22). De acordo com a publicação, a suspensão não é válida para as cirurgias que já estão marcadas e que deverão ser realizadas nos próximos três dias.

Desde janeiro deste ano, consultas médicas, exames e cirurgias que não são de urgência e que demandam internações hospitalares já estavam suspensos em hospitais da rede pública.

Agora, o governo justificou também a suspensão das cirurgias eletivas na rede privada em razão da terceira onda da pandemia da Covid-19 e o consequente aumento da demanda por assistência à saúde.

Em coletiva de imprensa ocorrida no dia 12 deste mês, Nésio Fernandes já havia recomendado aos hospitais privados que fizessem essa suspensão.

Um dos argumentos do secretário era de que, além de estarem recebendo mais pacientes em função da Covid-19, os hospitais particulares também vendem leitos para o Sistema Único de Saúde (SUS) e, por isso, são importantes para que a rede pública seja capaz de garantir atendimento a todos os seus pacientes.

 

Leia mais

Leia também