Governo de extrema direita da Colômbia continua reprimindo manifestantes em Cali


A polícia, militares e paramilitares massacram pessoas na Univalle, segundo denúncias de manifestantes e organizações de direitos humanos colombianos. Policiais sequestraram oito manifestantes do bairro de Meléndez, em Cali, garantiram usuários de redes sociais, informa a Telesul.

Cidadãos colombianos denunciaram na manhã desta segunda-feira (10), que a polícia continua com a repressão às mobilizações sociais na cidade de Cali, que se tornou o epicentro dos protestos que acontecem há 13 dias contra o governo.

A continuidade da repressão em Cali ocorre depois que o presidente da Colômbia, Iván Duque, anunciou no domingo que aumentará a presença policial e militar naquela cidade, capital do departamento de Valle del Cauca, no sudoeste do país.

Horas depois, o ministro da Defesa da Colômbia, Diego Molano, confirmou o envio de 10.000 policiais e 2.100 soldados a Cali para “garantir a segurança”.

O Conselho Regional Indígena do Cauca (CRIC), por sua vez, anunciou na manhã desta segunda-feira que um “corredor humanitário” será permitido por 24 horas em Cali, para garantir a passagem de alimentos, remédios e outros.

Os colombianos iniciaram uma greve nacional em 28 de abril em rejeição às políticas neoliberais implementadas por Duque, que respondeu com o uso da força pública contra os manifestantes, em ações que deixaram pelo menos 47 mortos e mais de 500 desaparecidos. 

(Foto: Reuters)

Leia mais

Leia também