Governador de Nova York é alvo de investigação sobre quatro casos de assédio sexual


Andrew Cuomo, governador democrata do estado de Nova York, nos Estados Unidos, é alvo desde a última quinta-feira (11) de uma investigação parlamentar que pode levar a seu impeachment, no que seria o primeiro esforço neste sentido no estado em mais de um século. 

Quatro alegações de assédio sexual foram levadas ao Comitê Judiciário da Câmara de Nova York, que além disso vai investigar a má conduta do governador acusado também de esconder os reais números de mortes em asilos durante a pandemia da Covid-19.

59 democratas do órgão (40% do total) assinaram uma carta exigindo a renúncia imediata de Cuomo diante das acusações. 

A ex-assessora e atual candidata a presidente do Condado de Manhattan, Lindsey Boylan, foi a primeira a denunciar. Ela alega ter sido assediada em diversas ocasiões entre 2016 e 2018, com o governador chegando a tentar lhe dar um beijo na boca não solicitado.

Charlotte Bennett, ex-assessora de políticas de saúde do governo Cuomo, de 25 anos, denunciou avanços do governador de 63 anos, que dizia estar aberto a ter relações com mulheres de sua idade.

As acusações foram reportadas no New York Times.

O Wallstreet Journal e o Washington Post divulgaram mais duas acusações de avanços indevidos. 

Cuomo pediu desculpas pelos comentários, mas negou ter tocado em alguma das mulheres de maneira inadequada. 

Andrew Cuomo, governador de Nova Iorque

Andrew Cuomo, governador de Nova Iorque (Foto: Reuters)

Leia mais

Leia também