França deve evitar “ser arrastada” pela rivalidade EUA-China, diz chefe do Estado-Maior francês


SputnikA França deve evitar ser arrastada para a rivalidade crescente entre China e Estados Unidos, que se tornará um confronto geopolítico central no futuro, disse o general François Lecointre, chefe do Estado-Maior de Defesa do país.

De acordo com a declaração do general, publicada neste sábado (22) como parte de uma entrevista ao jornal francês Le Figaro, o futuro cenário internacional girará em torno do impasse entre Pequim e Washington, no qual todos os Estados terceiros terão que escolher um lado, algo que nem a França, nem a Europa têm interesse.

“Embora não se trate de questionar nossa relação com os EUA, que é de vital importância, não devemos nos permitir ser arrastados para o confronto que ameaça se desenrolar entre a China e os EUA”, disse Lecointre.

O general também mencionou as preocupações das nações do Leste Europeu com o rearmamento da Rússia, já que Moscou, em sua opinião, junto com Pequim, está se tornando um rival cada vez mais perigoso tanto no espaço quanto no mar. “Este confronto é perigoso”, acrescentou.

Lecointre disse ainda que Moscou está tentando enfraquecer o modelo democrático ao atuar no domínio das tecnologias digitais e afirmou que a presença da Rússia, Turquia ou China na África é preocupante e desestabilizadora.

China e Rússia, por sua vez, têm defendem que a era da hegemonia norte-americana acabou e que o mundo precisa caminhar em direção a um modelo multilateral.

 

General François Lecointre

General François Lecointre (Foto: Reuters)

Leia mais

Leia também