Fornecedores contratados pelo Governo Federal poderão adiar pagamento de multas

contratos administrativos

– Foto:
Banco de imagens

Os fornecedores que mantêm contratos com a Administração Pública Federal poderão adiar o pagamento de multas provenientes desses contratos com o Governo Federal. A decisão é do Ministério da Economia, que publicou a Instrução Normativa nº 43, no Diário Oficial da União (DOU), com as novas regras.

Pela portaria, o fornecedor poderá  solicitar o parcelamento, a compensação e o adiamento da cobrança para 2021. Anualmente, a Administração Pública Federal contrata em torno de R$ 48 bilhões.

A medida tem o objetivo de manter o fôlego econômico das empresas durante o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. “Antes da publicação desta instrução normativa, não existia a possibilidade de negociar administrativamente as condições de pagamento destas multas”, afirma o secretário de Gestão, Cristiano Heckert.

Segundo o secretário, esta iniciativa pode ajudar os fornecedores a manterem empregos durante a crise. “Estamos buscando soluções, o parcelamento, por exemplo, só era permitido quando uma empresa ingressava na Dívida Ativa da União. Estamos simplificando e desburocratizando”, complementa Heckert.

De acordo com a IN, será possível o parcelamento total ou parcial da multa administrativa em até 12 parcelas mensais, desde que dentro da vigência do respectivo contrato. A norma estabelece, ainda, um valor mínimo para cada parcela, que não poderá ser inferior a R$ 500,00. Além disso, o valor da parcela será corrigido mensalmente pela taxa Selic.

Uma outra regra definida pela Instrução Normativa trata da compensação dos débitos a partir de créditos decorrentes de contratos assinados com o órgão que emitiu a multa. Para este processo, serão observados os prazos de validade de cada contrato administrativo. Esta vantagem não poderá ultrapassar o prazo de 12 meses.

“Esta é uma medida vantajosa tanto para a Administração quanto para os fornecedores. A partir desta nova regra, será possível deduzir o valor da multa devida de um próximo pagamento a ser feito para a empresa contratada, gerando economicidade para a Administração Pública”, explica Heckert.

Suspensão

Os fornecedores também poderão ser beneficiados com a suspensão da multa. “Estes pagamentos poderão ser postergados neste momento de contração econômica”, disse o secretário. Para isso, os interessados deverão solicitar o adiamento da cobrança para até 60 dias após o término do estado de emergência. Nesse caso, o valor também será corrigido pela Selic.

Anualmente, o governo federal realiza em torno de 103 mil processos de compras para a aquisição de bens, serviços e também de obras. Cerca de 47 mil destas aquisições são realizadas com Micro e Pequenas Empresas (MPE). “Esta ação também é para ajudar este grupo de empresários, que são os que mais geram empregos no país”, disse o secretário. Em 2019, as compras com esse setor movimentaram R$ 7,5 bilhões.

Transferências Voluntárias

A medida também poderá ser aplicada por estados e municípios nas aquisições realizadas a partir de recursos decorrentes de transferências voluntárias da União. Em 2019, esses convênios ou contrato de repasse movimentaram R$ 9,8 bilhões.

 

Com informações do Ministério da Economia

 

Leia mais

Ricardo Bôa comemora Dia dos Namorados com live

Por Cintia Zache - redenoticiaes Com aquele repertório bem intimista e prazeroso, Ricardo Bôa faz mais uma de suas lives, desta vez nesta sexta-feira (12),...

STF nega pedidos de municípios para não aderir a planos estaduais de combate ao novo coronavírus

Uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) negou o pedido de dois municípios que queriam não participar de planos estaduais de combate à pandemia....

Atividade de cabotagem cresce 11,3% entre janeiro e abril

– Foto: Banco de imagens O setor portuário brasileiro, de forma geral, não registrou...

Estudo mostra que coronavírus já circulava no país antes do isolamento

O trabalho foi publicado na plataforma medRxiv Por Daniel Mello Edição: Fernando Fraga Agência Brasil Um estudo que envolveu pesquisadores do Brasil e do Reino Unido mostra que...

Leia também

INDICADORES: Boi gordo registra redução no preço nesta segunda-feira (21)

A cotação da arroba do boi gordo começou a segunda-feira (21) com queda de 1% e o produto é negociado a R$ 248 em...

INDICADORES: Café arábica começa a semana com queda no preço

A saca de 60 quilos do café arábica começou a segunda-feira (21) com queda de 1,69% no preço e é vendida a R$ 544,82...

Buscando formação mais digital e inovadora de jovens, SENAI e Ministério da Economia lançam programa Aprendizagem 4.0

Com o mercado de trabalho em constante transformação digital, a capacitação de trabalhadores que atendam às exigências da indústria se torna cada vez mais...

Governo cria grupo de trabalho para gerir distribuição de vacina contra a Covid-19

Com o avanço das pesquisas para o desenvolvimento de uma vacina contra o novo coronavírus, o governo brasileiro começa a preparar sua infraestrutura para...